Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10923/4146
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorCosta, Jorge Campos daen_US
dc.contributor.authorSilveira, Silvana Souzaen_US
dc.date.accessioned2013-08-07T19:01:56Z-
dc.date.available2013-08-07T19:01:56Z-
dc.date.issued2007pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10923/4146-
dc.description.abstractUnderstanding implicit meaning does not depend merely on knowing the lexicon of a given language, and being able to decode that language. One must also recognize the speaker’s intentions, which includes context of use, among other things. This dissertation will firstly introduce a theoretical account of both explicit and implicit meaning, by presenting the principles of semantic and pragmatic theories, respectively. We will argue that it is impossible to think of either theories as autonomous theories because language has proved to be composed of semantic (lexical and literal meaning) and pragmatic aspects, proving that there is a strong interface between these two levels. We have chosen Grice’s (1975) Implicature Theory, improved by Costa’s framework (1984, 2005) to explain how speakers of a language infer the implicit meaning of an utterance. In order to test the theoretical potential of those two theories, we designed a questionnaire composed of 21 dialogues including Conventional and Conversational Implicatures. Moreover, in order to see if native speakers and non-native speakers hold significant differences in the way they infer, we applied the questionnaire in two groups: native speakers of Brazilian Portuguese and proficient non-native speakers of Portuguese, specifically speakers of Mandarin, during a one-year immersion period at the Pontifical Catholic University of Rio Grande do Sul - PUCRS, Brazil. We concluded that Grice and Costa provide strong and systematic accounts to explain how pragmatic inferences are achieved. The result of the questionnaire showed that those two groups do not have statistic significant differences, although, from the qualitative point of view, these differences are still seen as significant, mainly if oral communicative exchanges are taken into account. In addition, we will suggest that L2 teachers should be aware of the implications of knowing those theories of meaning in order to optimize their pedagogic practice.en_US
dc.description.abstractConhecer o léxico de uma língua e ser capaz de decodificá-lo não é o suficiente para compreender o significado implícito dessa língua. É necessário, também, reconhecer as intenções do falante no momento da enunciação. Este estudo apresentará, primeiramente, os fundamentos da significação explícita e da significação implícita, por meio de teorias semânticas e pragmáticas, respectivamente. Argumentaremos que é impossível pensar nessas teorias como autônomas, se levarmos em consideração que a língua é composta de aspectos semânticos e pragmáticos, prova de que há uma forte interface entre esses dois níveis. A fim de mostrarmos como os falantes de uma língua inferem no significado implícito, escolhemos a Teoria das Implicaturas de Grice (1975), refinada pela proposta de Costa (1984, 2005). Elaboramos um questionário composto de 21 diálogos ricos em Implicaturas Convencionais e Conversacionais para testar o potencial teórico das duas teorias e, também, para verificar se falantes nativos do português do Brasil e falantes não-nativos do português, especificamente falantes do mandarin, com um período de imersão na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS, Porto Alegre/RS, Brasil, apresentam diferenças significativas em suas inferências. Concluímos que Grice e Costa oferecem explicações consistentes e sistemáticas de como inferências pragmáticas são realizadas. O resultado do questionário mostrou que os dois grupos estudados não apresentam diferenças estatísticas significantes, embora, do ponto de vista qualitativo, tais diferenças parecem ser significantes, especialmente no que diz respeito à comunicação oral. Além disso, será oferecida como sugestão que os professores de L2 conheçam as teorias do significado abordadas nesta tese para que possam, dessa forma, otimizar a sua prática pedagógica.pt_BR
dc.language.isoPortuguêspt_BR
dc.publisherPontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.subjectLINGUÍSTICApt_BR
dc.subjectSEMÂNTICApt_BR
dc.subjectPRAGMÁTICApt_BR
dc.subjectIMPLICATURAS, TEORIA DASpt_BR
dc.subjectINFERÊNCIApt_BR
dc.subjectAQUISIÇÃO DA SEGUNDA LÍNGUApt_BR
dc.subjectPORTUGUÊSpt_BR
dc.titleTeoria das inferências pragmáticas do tipo implicatura: por uma potencial aplicação para o ensino/aprendizagem do português como L2pt_BR
dc.typedoctoralThesispt_BR
dc.degree.grantorPontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentFaculdade de Letraspt_BR
dc.degree.programPrograma de Pós-Graduação em Letraspt_BR
dc.degree.levelDoutoradopt_BR
dc.degree.date2007pt_BR
dc.publisher.placePorto Alegrept_BR
Appears in Collections:Dissertação e Tese

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000400557-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo654,3 kBAdobe PDFOpen
View


All Items in PUCRS Repository are protected by copyright, with all rights reserved, and are licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License. Read more.