Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/4368
Tipo: masterThesis
Título: Aquisição e persistência de memória implícita em adultos saudáveis
Autor(es): Gomes, Roberta de Figueiredo
Orientador: Cammarota, Martin Pablo
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Medicina e Ciências da Saúde
Data de Publicação: 2011
Palavras-chave: MEDICINA
NEUROCIÊNCIA
ENVELHECIMENTO
APRENDIZAGEM
DEPRESSÃO
ANSIEDADE
MEMÓRIA
Resumo: Introdução: Nos últimos anos, o funcionamento cognitivo do cérebro e os processos de consolidação de memória vêm sendo alvo de muitas pesquisas, visando o entendimento das bases biológicas do comportamento. Os testes neuropsicológicos que são utilizados para avaliar a memória geralmente englobam palavras e figuras para recordação visual e verbalização. Porém, poucos testes avaliam um tipo específico de memória, principalmente a memória implícita. No Brasil, existem poucos estudos acerca dessa memória, visto que há dificuldade no material de testagem para mensurar sua especificidade. Por isso, nesse estudo, buscou-se verificar se a memória implícita altera seu desempenho em adultos saudáveis que estão na faixa dos 60-70 anos. Objetivo: Avaliar a aquisição e persistência de memória implícita em adultos saudáveis e comparar o desempenho da memória em dois grupos etários (grupo 1: 30-40 anos; grupo 2: 60-70 anos); associar o desempenho da memória implícita com o gênero, escolaridade, classe socioeconômica e verificar se sintomas depressivos e ansiosos interferem no desempenho dessa memória. Metodologia: Estudo transversal controlado, realizado em sujeitos saudáveis que frequentaram o Ambulatório de Terceira Idade da Unidade de Neuropsicologia do HSLPUCRS, academias de ginástica, escolas de idiomas e funcionários do HLS-PUCRS. Todos os sujeitos foram submetidos a uma entrevista para excluir os que faziam uso de medicação psiquiátrica e que tinham doença neurológica. Para a estimulação da memória implícita foi utilizado Hooper Visual Organization Test (VOT).Resultados: O desempenho com a memória implícita dos sujeitos, mostra que houve uma diferença significativa (p<0,001) entre os grupos, demonstrando que o grupo 2 apresenta um pior desempenho dessa memória em relação ao escore ponderado, Tescore e classificações qualitativas de VOT, quando comparado ao grupo 1.Conclusão: A avaliação com VOT mostrou que adultos mais jovens apresentam um desempenho da memória implícita significativamente melhor do que adultos mais velhos. Sintomas de ansiedade não interferem no desempenho da memória implícita. A diferença entre os gêneros e classe socioeconômica não apresentou significância estatística.
Introdução: Nos últimos anos, o funcionamento cognitivo do cérebro e os processos de consolidação de memória vêm sendo alvo de muitas pesquisas, visando o entendimento das bases biológicas do comportamento. Os testes neuropsicológicos que são utilizados para avaliar a memória geralmente englobam palavras e figuras para recordação visual e verbalização. Porém, poucos testes avaliam um tipo específico de memória, principalmente a memória implícita. No Brasil, existem poucos estudos acerca dessa memória, visto que há dificuldade no material de testagem para mensurar sua especificidade. Por isso, nesse estudo, buscou-se verificar se a memória implícita altera seu desempenho em adultos saudáveis que estão na faixa dos 60-70 anos. Objetivo: Avaliar a aquisição e persistência de memória implícita em adultos saudáveis e comparar o desempenho da memória em dois grupos etários (grupo 1: 30-40 anos; grupo 2: 60-70 anos); associar o desempenho da memória implícita com o gênero, escolaridade, classe socioeconômica e verificar se sintomas depressivos e ansiosos interferem no desempenho dessa memória. Metodologia: Estudo transversal controlado, realizado em sujeitos saudáveis que frequentaram o Ambulatório de Terceira Idade da Unidade de Neuropsicologia do HSLPUCRS, academias de ginástica, escolas de idiomas e funcionários do HLS-PUCRS. Todos os sujeitos foram submetidos a uma entrevista para excluir os que faziam uso de medicação psiquiátrica e que tinham doença neurológica. Para a estimulação da memória implícita foi utilizado Hooper Visual Organization Test (VOT).Resultados: O desempenho com a memória implícita dos sujeitos, mostra que houve uma diferença significativa (p<0,001) entre os grupos, demonstrando que o grupo 2 apresenta um pior desempenho dessa memória em relação ao escore ponderado, Tescore e classificações qualitativas de VOT, quando comparado ao grupo 1.Conclusão: A avaliação com VOT mostrou que adultos mais jovens apresentam um desempenho da memória implícita significativamente melhor do que adultos mais velhos. Sintomas de ansiedade não interferem no desempenho da memória implícita. A diferença entre os gêneros e classe socioeconômica não apresentou significância estatística.
URI: http://hdl.handle.net/10923/4368
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000430773-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo8,03 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.