Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/4378
Tipo: masterThesis
Título: Qualidade de vida em indivíduos com lesão medular e em seus cuidadores
Autor(es): Amaral, Renata Busin do
Orientador: Cammarota, Martin Pablo
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Medicina e Ciências da Saúde
Data de Publicação: 2011
Palavras-chave: MEDICINA
NEUROCIÊNCIA
TRAUMATISMOS DA MEDULA ESPINAL
QUALIDADE DE VIDA
CUIDADORES
Resumo: Introdução: A lesão medular traumática é uma condição que se instala aguda e inesperadamente, podendo interferir tanto na qualidade de vida dos indivíduos traumatizados quanto na de seus cuidadores. Objetivos: Comparar a qualidade de vida dos indivíduos com lesão na medula espinhal com a dos seus cuidadores e verificar as associações com a independência funcional e com a sobrecarga percebida na prestação de cuidados. Metodologia: Estudo transversal controlado. Os grupos 1 e 2 foram constituídos por indivíduos com lesão medular e seus respectivos cuidadores, que frequentaram um centro de atendimento à deficiência, e os grupos 3 e 4 foram constituídos por sujeitos saudáveis cadastrados em um ambulatório de Estratégia de Saúde da Família, em Passo Fundo/RS. Para comparar a qualidade de vida, idade, classificação socioeconômica e sexo entre os grupos foi utilizado o teste t para amostras independentes e o qui-quadrado. A análise de covariância foi utilizada para ajustar os valores para sexo, idade e classificação socioeconômica, na comparação dos grupos 1 e 2. Para avaliar os fatores associados à qualidade de vida dos grupos 1 e 2, foram utilizados os coeficientes de regressão padronizado e de Pearson ou de Spearmann. Foram utilizados os instrumentos WHOQOL-Bref, para a avaliação da qualidade de vida, o escore motor da medida de independência funcional, para os indivíduos com lesão medular, o Zarit Burden Interview, para sobrecarga dos cuidadores, e o instrumento da Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa, para a classificação socioeconômica. Resultados: Os indivíduos com lesão medular e os seus cuidadores apresentaram pontuações significativamente menores em todos os domínios de qualidade de vida quando comparados aos indivíduos saudáveis. Não houve diferença na comparação da qualidade de vida dos indivíduos com lesão medular com seus respectivos cuidadores. Após ajustados os valores para sexo, classificação socioeconômica e idade, o grupo de indivíduos com lesão medular diferiu estatisticamente do grupo de cuidadores, no domínio físico e psicológico, de qualidade de vida. Houve associação positiva da qualidade de vida com a independência funcional em indivíduos com lesão medular e inversa da qualidade de vida com a sobrecarga nos cuidadores, bem como da independência funcional com a sobrecarga percebida. Conclusão: Os cuidadores sofrem o mesmo impacto na qualidade de vida que os indivíduos com lesão medular enquanto prestam assistência ao doente. A dependência funcional, consequente à lesão medular, limita o desempenho das atividades dos indivíduos num grau que sobrecarrega os seus cuidadores, levando a um prejuízo na qualidade de vida de ambos.
Introdução: A lesão medular traumática é uma condição que se instala aguda e inesperadamente, podendo interferir tanto na qualidade de vida dos indivíduos traumatizados quanto na de seus cuidadores. Objetivos: Comparar a qualidade de vida dos indivíduos com lesão na medula espinhal com a dos seus cuidadores e verificar as associações com a independência funcional e com a sobrecarga percebida na prestação de cuidados. Metodologia: Estudo transversal controlado. Os grupos 1 e 2 foram constituídos por indivíduos com lesão medular e seus respectivos cuidadores, que frequentaram um centro de atendimento à deficiência, e os grupos 3 e 4 foram constituídos por sujeitos saudáveis cadastrados em um ambulatório de Estratégia de Saúde da Família, em Passo Fundo/RS. Para comparar a qualidade de vida, idade, classificação socioeconômica e sexo entre os grupos foi utilizado o teste t para amostras independentes e o qui-quadrado. A análise de covariância foi utilizada para ajustar os valores para sexo, idade e classificação socioeconômica, na comparação dos grupos 1 e 2. Para avaliar os fatores associados à qualidade de vida dos grupos 1 e 2, foram utilizados os coeficientes de regressão padronizado e de Pearson ou de Spearmann. Foram utilizados os instrumentos WHOQOL-Bref, para a avaliação da qualidade de vida, o escore motor da medida de independência funcional, para os indivíduos com lesão medular, o Zarit Burden Interview, para sobrecarga dos cuidadores, e o instrumento da Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa, para a classificação socioeconômica. Resultados: Os indivíduos com lesão medular e os seus cuidadores apresentaram pontuações significativamente menores em todos os domínios de qualidade de vida quando comparados aos indivíduos saudáveis. Não houve diferença na comparação da qualidade de vida dos indivíduos com lesão medular com seus respectivos cuidadores. Após ajustados os valores para sexo, classificação socioeconômica e idade, o grupo de indivíduos com lesão medular diferiu estatisticamente do grupo de cuidadores, no domínio físico e psicológico, de qualidade de vida. Houve associação positiva da qualidade de vida com a independência funcional em indivíduos com lesão medular e inversa da qualidade de vida com a sobrecarga nos cuidadores, bem como da independência funcional com a sobrecarga percebida. Conclusão: Os cuidadores sofrem o mesmo impacto na qualidade de vida que os indivíduos com lesão medular enquanto prestam assistência ao doente. A dependência funcional, consequente à lesão medular, limita o desempenho das atividades dos indivíduos num grau que sobrecarrega os seus cuidadores, levando a um prejuízo na qualidade de vida de ambos.
URI: http://hdl.handle.net/10923/4378
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000434408-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo1,88 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.