Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://hdl.handle.net/10923/4515
Tipo: masterThesis
Título: Análise da factibilidade e segurança do transplante autólogo de células tronco de medula óssea em pacientes com epilepsia
Autor(es): Carrion, Maria Julia Machline
Orientador: Costa, Jaderson Costa da
Editor: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Medicina e Ciências da Saúde
Fecha de Publicación: 2010
Palabras clave: MEDICINA
TRANSPLANTE
CÉLULAS-TRONCO
EPILEPSIA
Resumen: A Epilepsia do Lobo Temporal (ELT) é a manifestação convulsiva mais comum em adultos e que comumente se apresenta como uma síndrome refratária aos tratamentos farmacológicos. Alterações anatômicas e fisiológicas estão geralmente presentes em pacientes com ELT, como a atrofia hipocampal vista em estudos de RM. As células tronco mostraram ter a habilidade de regenerar estruturas hipocampais em modelos experimentais. O objetivo do presente estudo é avaliar a segurança e factibilidade de uma nova estratégia terapêutica - o transplante autólogo de células tronco mononucleares da medula óssea (CTMMO) no tratamento de pacientes com ELT com esclerose hipocampal unilateral refratária. Foram avaliados 9 pacientes adultos com diagnóstico de ELT confirmado por história clínica, RM com volumetria hipocampal, vídeo EEG prolongado para registro de crises e exames laboratoriais. Após consentimento informado e preenchendo todos os critérios de congruência para lateralidade, os pacientes foram submetidos ao transplante de CTMMO. O transplante de células tronco foi realizado através de arteriografia seletiva da artéria cerebral posterior infundindo-se de 1,51 x 108 a 5,51 x 108 células mononucleares. Nenhum efeito adverso significativo foi registrado durante o procedimento nem durante o tempo de seguimento. Três pacientes (44. 5%) permaneceram na Classe IA de Engel, 04 na classe IB e 02 pacientes na classe IIA. Dados os resultados obtidos, concluímos que o transplante de CTMMO parece factível e seguro em pacientes com ELT refratária. O controle de crises alcançado nessa população nos dá um potencial terapêutico promissor no tratamento dessa população.
Temporal Lobe Epilepsy (TLE) is the most common convulsive presentation in adults and commonly presents as refractory to pharmacological treatment. Anatomical and physiological changes are often present in patients with TLE such as Hippocampal Atrophy seen in MRI studies. Stem cells are proven to have the ability of regenerating hipocampal structures in experimental models. The aim of this study is to evaluate safety and feasibility of bone marrow mononuclear stem cells (BMMSC) transplant for the treatment of patients with refractory TLE with unilateral hipocampal sclerosis. Nine TLE adult patients were studied, with diagnose confirmed by clinical history, MRI study and hippcocampal volumetry, prolonged video EEG for seizure recording and laboratory tests. After informed consent and fulfilling all criteria for side congruence patients underwent BMMSC transplant. The transplant was performed by selective posterior cerebral artery catheterism, transplanting from 1. 51 x 108 to 5. 51 x 108 mononuclear cells. No significative adverse effect was registered neither during procedure nor during follow up period. Three patients (44. 5%) remained at Engel Class IA, ) 04 patients at IB and 02 patients IIA. Given the results obtained, we conclude that BMMSC transplant seems to be feasible and safe so far in patients with refractory TLE. Seizure control achieved in this first population gives us a promising therapeutic potential in treatment of this population.
URI: http://hdl.handle.net/10923/4515
Aparece en las colecciones:Dissertação e Tese

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
000426668-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo3,77 MBAdobe PDFAbrir
Ver


Todos los ítems en el Repositorio de la PUCRS están protegidos por derechos de autor, con todos los derechos reservados, y están bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional. Sepa más.