Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://hdl.handle.net/10923/4573
Tipo: masterThesis
Título: Estudo comparativo da neoformação óssea utilizando-se o enxerto autógeno e três substitutos: defeitos ósseos em ratos
Autor(es): Stein, Rodrigo Steffen
Orientador: Silva, Jefferson Luis Braga da
Editor: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Medicina e Ciências da Saúde
Fecha de Publicación: 2009
Palabras clave: MEDICINA
CIRURGIA
REGENERAÇÃO ÓSSEA
TRANSPLANTE ÓSSEO
MATERIAIS BIOCOMPATÍVEIS
EXPERIMENTAÇÃO ANIMAL
RATOS DE WISTAR
Resumen: Introduction: Autogenous bone grafting is the first-choice treatment for reconstructing or replacing bone defects. Its main shortcomings and complications, such as limited quantities of bone for harvest, donor-site morbidity, and patient reluctance to accept it, gave rise to the seek for grafting substitutes for autogenous bone. The aim of this study is to compare the percentage of new bone formation promoted by autogenous bone grafts with three different substitute materials. Methods: Fourteen adult ,male, isogenic Wistar rats were subjected to the experiment. Two surgical cavities, measuring 5,4 X 2,7mm were created in both right and left femurs. Each was filled with either autogenous graft or one of the three substitute materials (hydroxyapatite (HA), Genphos® (HA+ ß-TCP) e GenMix® (composite bovine bone graft). Animals were sacrificed in six weeks(n=6) and twelve weeks(n=8). Sections were stained in picro-sirius and viewed under optical microscope and image software. Results:autogenous bone graft groups showed 90,6% ± 10,8 SD new bone formation in 6 weeks and 98 ± 9,2 % em 12 weeks (p>0,0001). Genphos® showed 46 ± 7,1%SD, HA 43,1 ± 8,4%SD and GenMix® 57,3 ± 4,5%SD in 6 weeks and 47,8 ± 11,1%SD, 39,9 ± 5,4%SD and 59,7 ± 4,8% SD in 12 weeks, respectively(p=0,007). Discussion: autogenous bone showed better results than substitute materials in both 6 and 12 weeks. Among the tested materials, except for the comparison of HA and GenMix in 12 weeks (p=0,007) there were no statistically significant differences. Conclusion: The three different substitute materials did not play a role equivalent to autogenous bone grafts referring to the percentage of new bone formation in 6 and 12 weeks.
Introdução: O tratamento de eleição para as correções de defeitos ósseos ainda é o enxerto ósseo autógeno. Suas principais limitações, como o volume restrito na região doadora, o pós-operatório desconfortável nessa região e a difícil aceitação pelos pacientes, levaram à busca por materiais que possam restaurar a forma e a função do osso perdido com a excelência do enxerto autógeno, porém com menos inconvenientes. O objetivo deste estudo é comparar a porcentagem de neoformação óssea promovida pelo enxerto ósseo autógeno e três tipos de materiais de substituição de características distintas em cavidades em fêmures de ratos. Métodos: Foram realizadas 2 cavidades de 5,4 x 2,7 mm, em cada fêmur (direito e esquerdo), de 14 ratos Wistar isogênicos. Cada um dos 4 defeitos criados foi preenchido com o osso autógeno ou com um dos três materiais testados – hidroxiapatita (HA), Genphos® (HA+ ß-TCP) e GenMix® (um enxerto ósseo bovino composto). Ao final dos períodos de 6 semanas (n=6) e 12 semanas (n=8), os animais foram sacrificados. As lâminas (coradas com Picro-Sirius) foram analisadas por microscopia ótica normal e software específico. Resultados: Os grupos com o osso autógeno se mostraram muito superiores aos demais nos dois tempos analisados, tendo uma média de neoformação óssea ± DP iguais a 90,6 ± 10,8 % em 6 semanas, e 98 ± 9,2 % em 12 semanas (p>0,0001 em ambos os tempos analisados). Em 6 semanas, os resultados para os demais grupos foram os seguintes: Genphos® 46 ± 7,1%, HA 43,1 ± 8,4% e GenMix® 57,3 ± 4,5%. Em 12 semanas, Genphos® 47,8 ± 11,1%, HA 39,9 ± 5,4%, GenMix® 59,7 ± 4,8 %. Discussão: O osso autógeno apresentou um comportamento notadamente superior aos outros grupos nos 2 tempos analisados. Dentre os substitutos testados – excetuando a comparação HA com GemMix® em 12 semanas (p=0,007) –, não se conseguiu provar diferenças que alcançaram significância estatística. Conclusões: Em ambos os tempos analisados, os três materiais de substituição óssea testada se mostraram inferiores ao osso autógeno na porcentagem de neoformação óssea.
URI: http://hdl.handle.net/10923/4573
Aparece en las colecciones:Dissertação e Tese

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
000412278-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo11,75 MBAdobe PDFAbrir
Ver


Todos los ítems en el Repositorio de la PUCRS están protegidos por derechos de autor, con todos los derechos reservados, y están bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional. Sepa más.