Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://hdl.handle.net/10923/4660
Tipo: masterThesis
Título: Desenvolvimento de um modelo experimental de hemorragia subependimária-intraventricular em ratos recém-nascidos
Autor(es): Alles, Yanet Chong Juárez
Orientador: Costa, Jaderson Costa da
Editor: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Pediatria e Saúde da Criança
Fecha de Publicación: 2009
Palabras clave: MEDICINA
PEDIATRIA
HEMORRAGIA CEREBRAL
ATIVIDADES MOTORAS
COGNIÇÃO
RECÉM-NASCIDO
RATOS - EXPERIÊNCIAS
RATOS DE WISTAR
COLAGENASES
Resumen: Introduction: Hemorrhage subependymal layer/intraventricular, also called the germinal matrix hemorrhage occurs in premature infants with less than 34 weeks and 1500 grams or below. The development of models for understanding the evolution of brain damage before and after the hemorrhage is important to determine strategies for treatment of disease. Objective: Developing a neonatal experimental model of hemorrhage subependymal layerintraventricular in newborn rats by collagenase type VII and evaluate the outcomes of the injury through neuromotor tests, cognitive test, and macroscopic and microscopic evaluation of subgroups: negative control, saline group and collagenase. Method: Rats were subjected to the P6 hemorrhage by free hand technique (freehand) through an injection with intracranial collagenase type VII; one group caused a unilateral hemorrhage in another bilateral hemorrhage. They were evaluated with neuromotor and cognitive tests in P7, P11, P15 and P30. After the neuromotor and cognitive test, macroscopic and histological examinations were performed. A group of animals also were evaluated histologically in P7 hemorrhage after injury. Results: It was possible to cause injury to the germinal matrix with collagenase type VII, and easy to play. Neuromotor changes as ambulation; negative geotaxis, surface righting, and forelimb grip have a significant value in the acute phase. But the test of the cylinder and the test of recognition of objects were not statistically significant. The test of the open field was significant, for the group with bilateral hemorrhage. We found decrease in the volume of encephalon and the germinal matrix lesion in histological evaluation. Conclusion: The model of hemorrhage subependymal layer/intraventricular in newborn rats (P6) was established using the collagenase type VII, and easy to implement. There was no significant difference in cognitive evaluation and the neuromotor changes are remarkable in the acute phase. Histological evaluation showed changes similar to those of humans. Reduction in the volume of the encephalon in the hemisphere corresponding to the lesion.
Introdução: A hemorragia subependimária-intraventricular, também chamada de hemorragia da matriz germinativa, ocorre, em pré-termos com menos de 34 semanas e/ou abaixo de 1500 gramas. O desenvolvimento de modelos para entender a evolução da lesão cerebral antes e depois da hemorragia é importante para determinar estratégias de tratamento da doença. Objetivo: desenvolver um modelo experimental neonatal de hemorragia subependimária-intraventricular em ratos recém-nascidos, através da colagenase tipo VII e avaliar os desfechos da lesão através de testes neuromotores, cognitivos e avaliação macroscópica e microscópica dos subgrupos: controle negativo, grupo salina e colagenase. Método: Ratos Wistar no P6 foram submetidos à hemorragia pela técnica da mão livre (freehand) através de uma injeção intracraniana com colaganese tipo VII. Num grupo foi provocada hemorragia unilateral, e, em outro, hemorragia bilateral. Os mesmos foram avaliados com testes neuromotores e cognitivos (P7, P11, P15 e P30). Após os testes neuromotores e cognitivos, foram realizadas as avaliações macroscópicas e histológicas. Um grupo de animais também foi avaliado histologicamente no P7 após a lesão hemorrágica. Resultados: Foi possível provocar lesão na matriz germinativa com colagenase tipo VII, sendo fácil de reproduzir. As alterações neuromotoras, como ambulação, geotaxia negativa, reflexo de endireitamento e o teste de preensão das patas anteriores apresentaram valores significativos na fase aguda. Já o teste do cilindro e o reconhecimento de objeto não foram estatisticamente significativos. O teste do campo aberto foi significativo para o grupo com hemorragia bilateral. Encontramos diminuição do volume do encéfalo e lesão da matriz germinativa na avaliação histológica. Conclusão: O modelo de hemorragia subependimária-intraventricular em ratos Wistar recém-nascidos (P6) foi estabelecida utilizando a colagenase tipo VII, sendo de fácil execução. Não houve diferença significativa na avaliação cognitiva e as alterações neuromotoras são notáveis na fase aguda. A avaliação histológica evidenciou alterações semelhantes às do humano. Houve redução do volume do encéfalo na região do hemisfério correspondente à lesão.
URI: http://hdl.handle.net/10923/4660
Aparece en las colecciones:Dissertação e Tese

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
000411483-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo9,29 MBAdobe PDFAbrir
Ver


Todos los ítems en el Repositorio de la PUCRS están protegidos por derechos de autor, con todos los derechos reservados, y están bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional. Sepa más.