Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/4761
Tipo: masterThesis
Título: Estudo das habilidades sociais em tabagistas
Autor(es): Rodrigues, Viviane Samoel
Orientador: Oliveira, Margareth da Silva
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Data de Publicação: 2008
Palavras-chave: PSICOLOGIA CLÍNICA
DEPENDÊNCIA QUÍMICA
TABAGISMO
FUMO - ASPECTOS PSICOLÓGICOS
COMPORTAMENTO (PSICOLOGIA)
INTERAÇÃO SOCIAL
Resumo: People who present a low range of social skills demonstrate difficulties to cope with life situations and of being assertive. These people seek in the use of psychoactive substances a way of becoming more sociable and having more power of interaction. Tobacco users who show low social competence, stressful life situations, low coping skills in risk situations, low self esteem and anxiety tend to use tobacco as a way to deal with daily life, pressure and conflicts. This study aims to verify the association between social skills in tobacco and non tobacco users, based on the understanding of the social interaction behavior. This dissertation comprehends two studies: a literature review and an empirical research. In the first study, the literature on social skills and tobacco was reviewed through searches on the Medline, Scielo, Psycinfo and EBSCO data basis, between 1998 and 2008. The descriptive words used for the search were: social skills, social competence, assertiveness, tobacco, cigarette, nicotine and drug abuse. The descriptive words used for the Portuguese language basis research were: habilidades sociais, treinamento em habilidades sociais, assertividade, tabaco, nicotina and substâncias psicoativas. In the literature, there were researches pointing out a deficit on social skills as a risk factor for the initiation of tobacco consumption. It was also found articles on tobacco users who showed difficulty in being assertive to resist to cigarette and say no, and also, studies that show the efficacy of the Social Skills Training in the cessation of tobacco use treatment. The empirical study aimed to evaluate the social skills on tobacco users and compare it with non tobacco users. Five instruments were used in this evaluation: the Fagerstrom Test, the Social Skills Inventory – IHS, the Cuestinário de Interacion Social- CISOA-82 and the Beck Anxiety and Depression Inventories – BAI and BDI. The total of the sample was 182 individuals, 90 of them were tobacco users and 92 non tobacco users, with the ages between 20 and 60 years, and minimum fundamental school on fifth grade. It was a quantitative study, transversal, observational, of comparison between two groups. The results showed significant differences in the evaluation of the presence of anxiety symptoms, with greater loss for the tobacco users group (p=0,006). In relation to the evaluation of the presence of social skills deficits, the present study findings verified significant statistical differences between the two groups. These differences were found in relation to the factor 5 – “aggressiveness self-control” (p=0,052) of IHS, to the factor 4 – “interaction with strangers” and to the factor 5 – “being in evidence” (p=0,029) of the CISOA-82, in which the tobacco users group showed a lower performance. This study concludes that tobacco users have more difficulties with social skills compared to non-tobacco users. The most deficient areas are related to higher difficulty to interact with strangers, uneasiness to being the center of attentions, the inability to deal with feelings and reactions of aggressiveness generated in social situations.
As pessoas que apresentam um baixo repertório de habilidades sociais demonstram dificuldades de enfrentar situações e de serem assertivas. Essas pessoas buscam no uso de substâncias psicoativas uma forma de se tornarem mais sociáveis e com um poder maior de interação social. Tabagistas que apresentam baixa competência social, situações de estresse, enfrentamento de situações de risco, baixa auto-estima e ansiedade tendem a usar o cigarro para enfrentar a vida diária, pressões e conflitos. Este estudo teve o objetivo de verificar a associação entre habilidades sociais em tabagistas e não tabagistas a partir da compreensão dos comportamentos de interação social. Esta dissertação compreende dois estudos: uma revisão teórica e um estudo empírico. No primeiro estudo realizou-se uma revisão sobre habilidades sociais e tabagismo através de buscas nas bases de dados Medline, Scielo, Psycinfo e EBSCO entre o período de 1998 a 2008. Os descritores utilizados foram: social skills, social competence, assertiveness, tobacco, cigarette, nicotine and drug abus. Os descritores nas bases de língua portuguesa foram: habilidades sociais, treinamento em habilidades sociais, assertividade, tabaco, nicotina e substâncias psicoativas. Encontrou-se na literatura pesquisas, em sua maioria de língua inglesa, apontando principalmente déficit em habilidades sociais como fator de risco ao início do consumo. Também foram encontrados artigos sobre tabagistas que apresentavam dificuldade em serem assertivos para resistir ao cigarro e dizer não, além disso, estudos mostram que o Treinamento de Habilidades Sociais tem sido eficaz no tratamento para cessação do tabagismo. O estudo empírico objetivou avaliar as habilidades sociais em tabagistas e comparar seu desempenho com não tabagistas. Foram utilizados 5 instrumentos nessa avaliação: ficha de dados sócio-demográficos, Teste de Fagerstrom, Inventário de Habilidades Sociais – IHS; Cuestinário de Interacion Social- CISOA-82 e Inventários de Ansiedade e de Depressão de Beck - BAI e BDI. O total da amostra constitui-se de 182 sujeitos, sendo 90 tabagistas e 92 não tabagistas, com idades entre 20 e 60 anos e escolaridade mínima de 5ª série do ensino fundamental. Foi um estudo quantitativo, transversal, observacional, de comparação entre dois grupos. Os achados mostraram diferenças significativas na avaliação da presença de sintomas de ansiedade, com maiores prejuízos no grupo de tabagistas (p=0,006). Em relação à avaliação da presença de déficits nas habilidades sociais, os resultados do presente estudo constataram que houve diferenças estatisticamente significativas entre os dois grupos. Estas diferenças foram encontradas em relação ao fator 5– “autocontrole da agressividade” (p=0,052) do IHS, ao fator 4- “interação com desconhecidos” (p=0,018) e o fator 5- “estar em evidência” (p=0,029) do CISOA-82, nos quais o grupo de tabagistas apresentou um desempenho mais prejudicado. Este estudo conclui que tabagistas apresentam mais dificuldades nas habilidades sociais comparados a não tabagistas. As áreas mais deficitárias estão relacionadas à maior dificuldade de interagir com desconhecidos, mal estar em ser o centro das atenções, a inabilidade em lidar com os sentimentos e reações de agressividade gerados em situações sociais.
URI: http://hdl.handle.net/10923/4761
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000410377-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo686,34 kBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.