Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://hdl.handle.net/10923/4836
Tipo: doctoralThesis
Título: Políticas da existência no campo da saúde: o público como um dispositivo
Autor(es): Bernardes, Anita Guazzelli
Orientador: Guareschi, Neuza Maria de Fátima
Editor: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Fecha de Publicación: 2006
Palabras clave: PSICOLOGIA APLICADA
SAÚDE - PSICOLOGIA
SAÚDE PÚBLICA - BRASIL
FOUCAULT, MICHEL - CRÍTICA E INTERPRETAÇÃO
POLÍTICA DE SAÚDE
SUBJETIVIDADE
PODER
Resumen: Esta tese analisa o público como um dispositivo na saúde. Para tanto, a saúde pública, no Brasil, é tomada como caso-pensamento e o público como conceito-problema que permite colocá-la em análise. O objetivo do estudo refere-se à configuração do público na sua articulação com o campo da saúde, mediante os conceitos de verdade, poder e subjetividade. Estes conceitos foucaultianos são articulados às discussões sobre o público como espaço de reconhecimento de si e do outro, no que tange ao mercado de trocas e à vida política, para se metamorfosear no campo da saúde, a partir da emergência da “questão social” produzida pela industrialização, como um dispositivo de produção da figura do sujeito-indivíduo, distanciando-se de uma experiência de alteridade. O dispositivo de publicização torna a saúde e as populações uma questão política que investe na privatização da existência. Parte-se de uma genealogia do público e o modo como este se transforma quando se articula a novos objetos no campo da saúde: a defesa de fronteiras, as epidemias, o trabalho, a cidadania, o dever e o direito, produzindo distintos modos de subjetivação - a população, o indivíduo, o trabalhador/família e o cidadão.
This thesis analyzes the public as a device in health. The public health in Brazil is taken as a thought-case, and public as a problem-concept that allows for its analysis. The study is related to the configuration of public in its articulation with health, considering the concepts of truth, power, and subjectivity. These foucauldian concepts have been articulated with discussions about public as a space of recognition of oneself and the others, as to the exchange market and political life, to undergo a metamorphosis in the health field, from the emergence of the “social issue” produced by industrialization, as a device of production of the figure of individual-subject, distancing from an otherness experiment. The device of becoming public makes health and populations a political issue that invests on the privatization of existence. The starting points are both a genealogy of public and the way it is transformed in articulation with new objects in the health field: defense of frontiers, epidemics, work, citizenship, duties and rights, producing different modes of subjectivation – the population, the individual, the worker/family, and the citizen.
URI: http://hdl.handle.net/10923/4836
Aparece en las colecciones:Dissertação e Tese

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
000387792-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo498,32 kBAdobe PDFAbrir
Ver


Todos los ítems en el Repositorio de la PUCRS están protegidos por derechos de autor, con todos los derechos reservados, y están bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional. Sepa más.