Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/4943
Registro Completo de Metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorArgimon, Irani Iracema de Limaen_US
dc.contributor.authorBicca, Mônica Giarettonen_US
dc.date.accessioned2013-08-07T19:08:53Z-
dc.date.available2013-08-07T19:08:53Z-
dc.date.issued2007pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10923/4943-
dc.description.abstractA expectativa de vida da população vem aumentando sensivelmente, trazendo um desafio aos profissionais da área da saúde no que se refere ao entendimento de sua dinâmica, de seus problemas e limitações. O envelhecimento pressupõe algumas alterações, dentre elas as que se referem às habilidades cognitivas, que podem ser potencializadas pelo uso de substâncias psicoativas. Com o objetivo de estudar esta temática foi elaborada esta dissertação que está composta por dois artigos, sendo um de revisão teórica e um empírico. No artigo teórico foi realizada uma revisão sistemática com o objetivo de investigar as características das publicações indexadas nos últimos 5 anos que versam sobre o tema habilidades cognitivas, benzodiazepínicos e idosos. Foram cruzadas as palavras-chave nos sistemas Medline, PsycInfo e LILACS. Os abstracts dos artigos foram classificados a partir das dimensões de análise: sistema de indexação, ano de publicação, idioma original, tipo de delineamento, cruzamento de variáveis, resultados e conclusões dos estudos. O tratamento dos dados realizou-se por meio de análise das freqüências percentuais. Os resultados demonstraram que vem sendo feitos estudos relacionados ao uso de benzodizepínicos, habilidades cognitivas e idosos, entretanto, poucos chegam a conclusões definitivas e universais.O segundo artigo, empírico, responde ao projeto de pesquisa que deu origem a esta dissertação, e objetivou comparar as habilidades cognitivas de idosas usuárias de benzodiazepínicos e não usuárias desta medicação. O delineamento foi de um estudo quantitativo e transversal. Os instrumentos utilizados foram: Ficha de Dados Sociodemográficos, Breve Entrevista Internacional de Neuropsiquiatria Modificada, Mini-Exame do Estado Mental, Escala de Depressão Geriátrica, Span de Números, Teste de Fluência Verbal - Categoria Animal, Teste de Evocação Seletiva Livre e com Pistas (Buschke). A análise dos dados foi realizada através de procedimentos estatísticos, via programa SPSS. Não foram encontradas associações significativas em relação à memória, atenção e linguagem entre os grupos de idosas que usam benzodiazepínicos e o grupo de idosas que não usam esta medicação.pt_BR
dc.description.abstracten_US
dc.language.isoPortuguêspt_BR
dc.publisherPontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.subjectPSICOLOGIA CLÍNICApt_BR
dc.subjectIDOSOS - ATIVIDADES COGNITIVASpt_BR
dc.subjectBENZODIAZEPINASpt_BR
dc.titleHabilidades cognitivas em idosas usuárias de benzodiazepínicospt_BR
dc.typemasterThesispt_BR
dc.degree.grantorPontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentFaculdade de Psicologiapt_BR
dc.degree.programPrograma de Pós-Graduação em Psicologiapt_BR
dc.degree.levelMestradopt_BR
dc.degree.date2007pt_BR
dc.publisher.placePorto Alegrept_BR
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000387813-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo472,03 kBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.