Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/5036
Tipo: doctoralThesis
Título: A psicologia das emergências: um estudo sobre angústia pública e o dramático cotidiano do trauma
Autor(es): Bruck, Ney Roberto Váttimo
Orientador: Guareschi, Pedrinho A.
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Data de Publicação: 2007
Palavras-chave: PSICOLOGIA
PSICOLOGIA SOCIAL
TRAUMAS PSICOLÓGICOS
ESTRESSE (PSICOLOGIA)
COMPORTAMENTO (PSICOLOGIA)
EMERGÊNCIAS MÉDICAS
ATENDIMENTO DE EMERGÊNCIA PRÉ-HOSPITALAR
Resumo: O assunto “trauma” vem adquirindo novos significados, considerando principalmente acontecimentos sociais recentes, sejam eventos adversos, catástrofes, desastres, sejam as situações-limite vividas pelas pessoas no cotidiano urbano. A psicologia das emergências estuda o comportamento das pessoas nos acidentes e desastres desde uma ação preventiva até o pós-trauma e, se for o caso, subsidia intervenções de compreensão, apoio e superação do trauma às vítimas e profissionais do SAMU. O assunto se estende às questões que vão desde a experiência pessoal do trauma até os eventos adversos provocados por calamidades, sejam estas naturais e/ou provocadas pelo homem. A psicologia das emergências é um tema de angústia pública, sentimento difuso de mal-estar que se origina dos acontecimentos públicos traumáticos, chamados estressores, tais como os acidentes de trânsito com vítima, assim como os provenientes das demais situações limites de toda a violência urbana.O trauma é uma experiência que explode a capacidade de suportar um revés, traz a perda de sentido, desorganização corporal e paralisação da consciência temporal, pode deixar marcas que influenciam a criatividade e a motivação para a vida. Os objetivos nos primeiros auxílios psicológicos são de aliviar as manifestações sintomáticas e o sofrimento, reduzindo os sentimentos de anormalidade e de enfermidade. Um dos objetivos é a familiarização com temas considerados complexos e muitas vezes distantes das discussões sobre trauma psicológico, sendo que o problema da pesquisa é a compreensão da psicologia das emergências e como colocá-la em prática. Os autores mais utilizados são Edgar Morin, Alfredo Moffatt, Serge Moscovici, Gilles Deleuze e Michel Foucault, dentre outros. São abordados os temas do não-reducionismo, da epistemologia de si mesmo e da relação da Teoria das Representações Sociais com o EMDR (dessensibilização e reprocessamento através de movimentos oculares).O método desta pesquisa, com suporte na observação participante refere às questões da complexidade, análise multirreferencial e de implicação. As técnicas mais utilizadas foram entrevistas, grupos focais-“histórias significativas” e análise documental. É indicado, como atitudes favoráveis pensar não a partir de algo, mas, sobretudo sobre algo e que para mudar o modo de agir torna-se necessário modificar a imagem que uma pessoa tenha de si próprio. Como conclusões da pesquisa, observou-se: que as pessoas acidentadas trazem outros acontecimentos considerados difíceis junto com o depoimento sobre o acidente, como situações de luto e de sofrimento com familiares; que o estresse pós-traumático não é uma conseqüência inevitável do trauma; que não há nenhuma orientação, ou rotina, nas missões de socorros e nos documentos oficiais do SAMU sobre o tema psicologia das emergências. Também são indicadas considerações finais sobre os temas da Síndrome de Burnout, sobre a influência da instituição no cotidiano dos atendimentos, sobre a relação da clínica com a psicologia social.
The topic “Trauma” has been acquiring new meanings considering mainly recent social events, adverse events, catastrophes, disasters or limit- situations that people live daily. The psychology of emergencies studies people’s behavior in accidents and disasters from preventive action to post-trauma, and if this is the case , it subsidizes comprehension interventions, support and trauma overcoming for victims and professionals of SAMU. The issue ranges from personal experience of trauma to adverse events provoked by disasters, be they natural or caused by men. Psychology of emergencies is a theme of public anguish, an unclear feeling of discomfort that comes from public traumatic events , called stressors , such as traffic accidents with victim , as well as the ones coming from other limit-situations of urban violence. Trauma is an experience that explodes the capacity of bearing a piece of bad luck , brings the loss of meaning , body disorganization and halt of temporal conscience; it can leave marks that influence creativity and motivation for life. The objectives in the first psychological help are relieving the symptomatic manifestations and the suffering , reducing feelings of abnormality and illness. One of the objectives of this paper is the familiarization with topics considered complex and often far from the discussions about psychological trauma, and from this point on to elaborate a propositive analysis about treating emotional demands. The problem of the research is the comprehension of psychology of emergencies and how to put it into practice. This study was based mostly on the studies of the following authors: Edgar Morin, Alfredo Moffatt, Serge Moscovici, Gilles Deleuze and Michel Foucault, among others.The topics discussed are non-reductionism, the epistemology of oneself and of the relation of the theory of Social Representations with the EMDR (eye movement desensitization and reprocessing). The method of this research, supported by participant observation, refers to topics of complexity, multi-referential analysis and of implication. The techniques mostly used were interviews, focal groups, ”meaningful stories” and analysis of documents. It is indicated, as favorable attitudes, thinking not only from something but above all about something and that to change the way of acting it is necessary to modify the image that one has of oneself. Conclusions of the research: victims of accidents bring other facts considered difficult together with the declarations about the accident , like situations of mourning and of suffering with family; post-traumatic stress is not an inevitable consequence of trauma; there is no orientation or routine, in the missions of aid and in the official documents about the theme; manifestation of the syndrome of Burnout among the professionals of SAMU is not likely to happen; and institutional support with the professionals and the union of clinic and social psychology.
URI: http://hdl.handle.net/10923/5036
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000389783-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo934,75 kBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.