Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/5050
Tipo: masterThesis
Título: Configurações do processo de trabalho em que participa o assistente social na saúde coletiva no espaço sócio-ocupacional da atenção básica
Autor(es): Camargo, Marisa
Orientador: Maciel, Ana Lúcia Suárez
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Serviço Social
Data de Publicação: 2009
Palavras-chave: ASSISTENTES SOCIAIS
SAÚDE COLETIVA
POLÍTICA DE SAÚDE
DIREITO À SAÚDE
Resumo: This dissertation constitutes a study of exploratory and explanatory report on the work process involved the social worker in public health and is grounded in a qualitative approach based on the theory and method in historical materialist dialectical. The problem of research is the next question:"how to setup the work process involved the social worker in public health in the socio-occupational primary care?" with the objective to examine the settings of the working process in which it participates the social worker in public health in the socio-occupational primary care of Unified Health System (SUS) in Porto Alegre in Rio Grande do Sul (RS) in order to contribute to a better integration of work and professional project from the perspective of security of rights, to discuss and better characterize the professional identity giving greater visibility to the profession and its contribution to the field of public health in the socio-occupational primary care under the Unified Health System (SUS). The subjects are the eight (08) social workers who in 2007 worked in units of primary health care in that district. In the process of data collection used the technique of semi-structured application form consisting of both open and closed complemented by systematic observation or unstructured locus of research reported in the field diary. The qualitatives informations were submitted to content analysis of thematic focus based on Bardin (1977), identifying thematic nucleus and frequencies of the themes in the communications of social workers, according to the summaries of the thematic categories or explanatory of reality: work process, public health and right to health and thematic subcategories or explanatory of reality: specific attribution, responsibilities and primary care model, mediated by the theoreticalmethodological support for the discussion and propositions woven.The survey results indicate that the work process involved the social worker in public health in the socio-occupational primary care is characterized by the fusion of traditional and conservative actions with innovative and critical disputes that inform design professionals both within the profession, as the scenario that the very health policy in terminating its relationship with the societary capitalist hegemonic project. The social worker participates in the work process in collective health in the socio-occupational primary care, taking on the challenge to articulate the principles of professional project to those guiding of Unified Health System (SUS), in the tense intersection between the public sphere and dictates of the professional project and societary hegemonic. In this scenario conflicting and contradictory claims to the qualitative dimension of the social work: socially constructed, use values creator and essential in the mediation access to intersectoral actions, goods and services necessary for the realization of the social right to health of State responsibility.
Esta dissertação se constitui em um estudo de caráter exploratório e explicativo sobre o processo de trabalho em que participa o assistente social na saúde coletiva e se encontra ancorada em uma abordagem qualitativa que se baseia na teoria e no método materialista histórico dialético. O problema de pesquisa parte da seguinte interrogação: “como se configura o processo de trabalho em que participa o assistente social na saúde coletiva no espaço sócio-ocupacional da atenção básica?” com o objetivo de analisar as configurações do processo de trabalho em que participa o assistente social na saúde coletiva no espaço sócioocupacional da atenção básica do Sistema Único de Saúde (SUS) no município de Porto Alegre no Estado do Rio Grande do Sul (RS), a fim de contribuir para uma melhor articulação do trabalho desenvolvido e o projeto profissional na perspectiva da garantia de direitos, para debater e melhor caracterizar a identidade profissional dando maior visibilidade à profissão e a sua contribuição para o campo da saúde coletiva no espaço sócio-ocupacional da atenção básica no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Os sujeitos da pesquisa são as oito (08) assistentes sociais que no ano de 2007 trabalharam em unidades da atenção básica em saúde no referido município. No processo de coleta de dados utilizou-se a técnica de entrevista semiestruturada com aplicação de formulário composto de questões abertas e fechadas complementada pela observação assistemática ou não estruturada do lócus de pesquisa registrada em diário de campo.As informações qualitativas foram submetidas à análise de conteúdo de recorte temático com base em Bardin (1977), identificando-se núcleos temáticos e frequencias dos temas nas comunicações das assistentes sociais, de acordo com as sínteses das categorias temáticas ou explicativas da realidade: processo de trabalho, saúde coletiva e direito à saúde e das subcategorias temáticas ou explicativas da realidade: atribuições privativas, competências, atenção básica e modelo de atenção, mediadas pelos aportes teórico-metodológicos que dão suporte para a discussão e as proposições tecidas. Os resultados da pesquisa indicam que o processo de trabalho em que participa o assistente social na saúde coletiva no espaço sócio-ocupacional da atenção básica configura-se pela fusão de práticas tradicionais e conservadoras com ações inovadoras e críticas, que informam as disputas de projetos profissionais tanto no âmbito da profissão, quanto do cenário que a própria política de saúde encerra em sua relação com o projeto societário capitalista hegemônico. O assistente social participa do processo de trabalho na saúde coletiva no espaço sócio-ocupacional da atenção básica assumindo o desafio de articular os princípios do projeto profissional àqueles orientadores do Sistema Único de Saúde (SUS), na tensa intersecção entre a esfera pública e os ditames do projeto profissional e societário hegemônicos. Nesse cenário conflituoso e contraditório afirma-se a dimensão qualitativa do trabalho do assistente social: socialmente construído, criador de valores de uso e indispensável na mediação do acesso às ações intersetoriais, bens e serviços necessários à efetivação do direito social à saúde de responsabilidade do Estado.
URI: http://hdl.handle.net/10923/5050
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000421843-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo1,3 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.