Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10923/5335
Type: doctoralThesis
Title: Dinâmica populacional do cavalo-marinho hippocampus reidi no manguezal de Maracaípe, Ipojuca, Pernambuco, Brasil
Author(s): Silveira, Rosana Beatriz
Advisor: Fontoura, Nelson Ferreira
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Graduate Program: Programa de Pós-Graduação em Zoologia
Issue Date: 2005
Keywords: ZOOLOGIA
CAVALOS-MARINHOS - PERNAMBUCO
REPRODUÇÃO ANIMAL
Abstract: The Hippocampus reidi seahorse is a bony fish from the Syngnathidae family, which lives in the coastal and estuarine waters, from the north to the south of Brazil. The field studies were developed in the estuary of the Maracaípe river, 8º32’14,9’’S and 35º00’17,8’’W, in the city of Ipojuca, state of Pernambuco, in the Northeast region of Brazil. The data were collected through weekly dives and observation, from June 2001 to July 2003. When visualized, the animals were captured with the hands and packed into plastic vessels containing the local water, to be transported to the laboratory where it was performed weighing procedures, height measurement (from the top of head to the edge of the stretched tail) and installation of individual identification marks which consisted in numbered plastic tags. After the identification, the specimens were taken back to the mangrove area, in the same points from where they were collected. The laboratorial studies were developed in the Laboratório de Aqüicultura Marinha-LABAQUAC/Project Hippocampus, as an aid to the studies on populational dynamics carried out in the mangrove area. The maintenance of the sea horses was performed in photoperiod of 09L:15E and the feeding consisted in adult specimens of Artemia salina, Poecilia vivipara alevins (guaru) and postlarva sea-shrimp, Penaeus vanamei, twice a day. The reproductive period and the reproduction peak were established through the relative frequency of pregnant males during the collection months. The size of the first maturation of H. reidi was determined through relative frequencies of pregnant males in each length class interval. The fecundity was estimated through the counting of spawned ovocytes without the presence of the male, while the fertility was estimated through the counting of all the newly born fishes from the male’s brood pouch. The height growth curve for the H. reidi was determined based on the marking and recapture data. The estimation of the populational size was developed through the visual sense; the animals were counted by the points, taking into consideration the width, length and depth of each point. The Hippocampus reidi, living in the estuary of the Maracaípe river, is an euryhaline specie, distributing itself along a salinity range between 5-40 ppm, concentrating in points with an average salinity of 26 ppm. It has a reproductive activity during all the year, with reproductive peak established between June and October (winter and part of spring). At birth, it is 0. 6 cm height and develops the secondary sexual characteristics around the 4,3 months (2,4 and 5,25 months), when it reaches heights between 6. 7 and 11. 1 cm. It reaches sexual maturity (L50) at 7,0 months, with average height of de 12. 3 cm. The smaller receptive male presented 9,7 cm height, while the biggest pregnant presented 17. 7 cm height. The male and female gonads are situated parallel to kidneys and ventral to the gaseous vesicle, the female has the ovipositor, a structure contiguity to the ovary, for transference of eggs the male’s brood pouch. The average fecundity per lot was 839. 66 post-vitellogenic eggs, with average fecundity for the reproductive peak of 8,396. 60 eggs, characterizing a fractionated spawning. The average fertility per pregnancy was of 691. 4 individuals, estimating 6. 914 newly-born fishes per reproductive peak. The courtship for the H. reidi was always the male’s initiative, developing a sophisticated nuptial behavior with special motions and colors. The pregnancy period has varied with the water temperature, where the shorter and usual period registered was 12 days, with couple remating formed on the second day after the newly born release. In laboratory, the H. reidi showed itself monogamous, but not strictly, because among 61 observations of courtship and mating, three of them were polygamous, where a male got to mate with two females within an interval of 24 hours. It was registered intrasexual interactions both in males and females; it could be noted an epithelial proliferation similar to the formation of brood pouch in females, whose meaning suggests that sea horses had a hermaphrodite past. Three age ranges were identified: fishes up to one year old: smaller than 15. 0 cm height; fishes up to two years old, between 15. 1 and 17. 0 cm and fishes older than two years, from 17. 1 cm height. It was equally identified within such ranges, averages for three age categories: juvenile, up to 10. 0 cm height (without definition of the secondary sexual characters); specimens at the pre-maturational age, between 10. 1 and 12. 0 cm height; specimens in reproductive age, from 12. 3 cm. The growth weight showed a best development for males: at the same age, the males showed themselves heavier due to the development of the brood pouch. The longevity was not determined in the natural environment; however, the ours laboratorial datas indicate a lifecycle longer than four years. The longest and the shortest displacement registered inside the estuary of the Maracaípe river was 552 m and 8 m respectively, performed by females, while the males presented an average displacement of 200 m, where the average displacement for the specie was 228. 8 m. The pregnant males remained always in the same point, presenting minimum displacement equal or lower than one meter. The populational density was low (0. 060 ind/m2), reaching the highest values in the winter months (0. 137 ind/m2). Among the substrates used by the specie, the Rhizophora mangle roots were the main use. The stream velocity, taken always in the ebb tide, ranged between 0. 6m/s and 0. 06m/s. It was registered a pronounced human interference in the points where the sea horses were collected, through the fishing of crabs or fishes using fishing nets, rods or pumps, where the presence of “ecological tourism” is also frequent.
O cavalo-marinho Hippocampus reidi é um peixe ósseo, pertencente à família Syngnathidae, que habita águas litorâneas e estuarinas, de norte a sul do Brasil. Os estudos de campo foram desenvolvidos no estuário do rio Maracaípe, 8º32’14,9’’S e 35º00’17,8’’W, município de Ipojuca, estado de Pernambuco, região nordeste do Brasil. Os dados foram coletados através de mergulhos e observações semanais, de junho de 2001 a julho de 2003. Ao serem visualizados, os animais foram capturados com a mão e acondicionados em recipientes plásticos, com água do local, para transporte ao laboratório, onde foram realizados procedimentos de pesagem, medição da altura (medida do topo da cabeça à ponta da cauda esticada) e colocação de marcas de identificação individual que consistiram em etiquetas plásticas numeradas. Após a marcação, os espécimes foram devolvidos ao manguezal, nos mesmos pontos onde foram coletados. Os estudos de laboratório foram desenvolvidos no LABAQUAC (Laboratório de Aqüicultura Marinha), em auxílio aos estudos de dinâmica populacional realizados no manguezal. A manutenção dos cavalos-marinhos foi feita em fotoperíodo de 09L:15E e, a alimentação constou de espécimes adultos de Artemia salina, alevinos de Poecilia vivipara (guaru) e pós-larva do camarão-marinho, Penaeus vanamei, na freqüência de duas vezes ao dia. O período reprodutivo e o pico de reprodução foi estabelecido através da freqüência relativa de machos grávidos no decorrer dos meses de coleta. O tamanho da primeira maturação de H. reidi foi determinado através das freqüências absolutas e relativas de machos grávidos por intervalo de classe de comprimento. A fecundidade foi estimada através da contagem dos ovócitos desovados sem a presença do macho, enquanto que a fertilidade foi estimada pela contagem de todos os recém-nascidos da bolsa incubadora do macho.A curva de crescimento em altura para H. reidi foi feita com base nos dados de marcação e recaptura, utilizando uma “Planilha de Ajuste da Função de Crescimento de von Bertalanffy”. A estimativa do tamanho populacional foi elaborada através do senso visual, os animais foram contados através dos pontos, levando em consideração a largura, comprimento e profundidade de cada ponto. Hippocampus reidi, residente no estuário do rio Maracaípe, é uma espécie eurialina, distribuindo-se ao longo de uma faixa de salinidade entre 5-40 ppm, concentrando-se em pontos com salinidade média de 26 ppm. Possui atividade reprodutiva durante todo o ano, com pico reprodutivo estabelecido ente junho e outubro (inverno e parte da primavera). Ao nascer, possui 0,6 cm de altura e, desenvolve as características sexuais secundária por volta de 4,3 mese (2,4 e 5,25 meses), quando atinge alturas entre 6,7 e 11,1 cm. Alcança maturidade sexual (L50) aos 7,0 meses, com médias de 12,3 cm de altura. O menor macho receptivo apresentou 9,7 cm de altura, enquanto que o maior pregnante, 17,7 cm. As gônadas masculinas e femininas situam-se paralelas aos rins e ventral à vesícula gasosa, a fêmea possui o ovopositor, estrutura contígua com o ovário, para transferência dos ovócitos para a bolsa incubadora do macho. A fecundidade média por lote foi de 839,66 ovócitos pós-vitelogênicos, com fecundidade média para o pico reprodutivo de 8. 396,60 ovócitos, caracterizando uma desova parcelada. A fertilidade média por pregnância foi de 691,4 indivíduos, estimando-se 6. 914 recém-nascidos por pico reprodutivo. A corte em H. reidi foi sempre iniciativa do macho, desenvolvendo elaborado comportamento nupcial com movimentos e coloração especiais. O período de pregnância variou com a temperatura da água, o menor e usual período registrado foi de 12 dias, com reacasalamento do par formado no segundo dia após liberação da prole. Em laboratório, H. reidi apresentou-se monogâmico, mas não estritamente, pois de 61 observações de corte e acasalamento, três foram poligâmicas, chegando um macho a copular com duas fêmeas num intervalo de 24 horas. Foram registradas interações intra-sexuais, tanto em machos, quanto em fêmeas; observou-se proliferação epitelial semelhante a formação de bolsa incubadora em fêmeas, cujo significado sugere um passado hermafrodita para os cavalos-marinhos. Identificou-se três faixas etárias: peixes até um ano de vida: menores de 15,0 cm de altura; peixes até dois anos de vida, entre 15,1 e 17,0 cm e, peixes com mais de dois anos de vida, a partir de 17, 1 cm de altura. Igualmente identificou-se dentro dessas faixas, médias para três categorias etárias: juvenil, até 10, 0 cm de altura (sem definição dos caracteres sexuais secundários); espécimes em idade pré-maturacional, de 10,1 a 12,0 cm de altura; espécimes em idade reprodutiva, a parir de 12,3 cm. O crescimento em peso revelou maior desenvolvimento para machos: em uma mesma idade, os machos apresentaram– se mais pesados pelo desenvolvimento da bolsa incubadora. A longevidade não foi determinada em ambiente natural, porém, os dados de laboratório apontam para um ciclo de vida superior a quatro anos. O maior e menor deslocamento registrado dentro do estuário do rio Maracaípe foi 552 m e 8 m respectivamente, realizado por fêmeas, enquanto que os machos apresentaram deslocamento médio de 202,5 m, sendo que o deslocamento médio para a espécie foi de 228,8 m. Os machos pregnantes permaneceram sempre no mesmo ponto, apresentando deslocamento mínimo igual ou menor que 1 m2. A densidade populacional apresentou-se baixa (0,060 ind/m2), alcançando os maiores valores nos meses de inverno (0,137 ind/m2). Dos substratos utilizados pela espécie, as raízes de Rhizophora mangle, constituíram-se no principal uso.A velocidade da corrente, tomada sempre na vazante, variou de 0,6m/s à 0,06m/s. Foi registrada acentuada interferência humana nos pontos onde foram coletados os cavalos-marinhos, através da pesca de siri ou peixes, com rede, com vara ou com bomba, sendo freqüente também a presença do “turismo ecológico”.
URI: http://hdl.handle.net/10923/5335
Appears in Collections:Dissertação e Tese

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000383594-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo3,85 MBAdobe PDFOpen
View


All Items in PUCRS Repository are protected by copyright, with all rights reserved, and are licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License. Read more.