Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://hdl.handle.net/10923/5678
Tipo: masterThesis
Título: Habilidades sociais e sintomas depressivos em idosos
Autor(es): Scheufler, Luciane
Orientador: Irigaray, Tatiana Quarti
Editor: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Fecha de Publicación: 2014
Palabras clave: PSICOLOGIA COGNITIVA
IDOSOS (PSICOLOGIA)
IDOSOS - ATIVIDADES
SAÚDE DO IDOSO
DEPRESSÃO
Resumen: The social skills in elderly have been considered as a relevant aspect to the achievement of a good life quality in old age. However, the ausence or deficit of social skills can make the interpersonal relations become hard and restrict. The deficits in social skills can lead to psicological disturbs like timidity, social isolation, suicide and depression. The main objective of this study was to investigate the relation between the social skills and the depression symptoms in elderly. Besides that, it tried to identify if the variety of age, scholarity, income, gender and civil state were predictors of social skills in elderly. Considering the objectives of this study, two empiric studies were developed. The first one had exploratory and crosssection design and the second had an almost experimental comparative design. In both studies, the amount encompassed 134 old aged, with 60 years or more, drafted 17 acquaintanceship groups of Porto Alegre and metropolitan area. In the second study, the amount was divided in Case Group, composed by individuals with depressive symptoms, and Control Group, without depressive symptoms. Socialdemographic Data Sheet, the Brazil Economic Classification Criterion, Geriatric Depression Scale (GDS-15) and the Social Skill Inventory (SSI). In the first study, we verified that the depressive symptoms, followed by the years of studying and socioeconomical level were the variables that most contributed to the Conversation and Social Nimbleness of the SSI. The years of study and the socioeconomical level were positively associated to a better score in Conversation and Social Nimbleness of the SSI. However, the depressive symptoms were negatively associated to the same factor. In the Sexual/Affective Approach of the SSI, the gender, scholarity, socioeconomical level, civil state and the depressive symptoms, respectively, also contributed to explain this factor. In the second study, the elderly with depressive symptoms showed significantly lower scores than the ones without the depressive symptoms in the Conversation and Nimbleness and Sexual/Affective Approach of the SSI factors. About the general score of the SSI, the elderly with depressive symptoms also had a worse result compared to the group of elderly without the symptoms. So, we can infer that the depressive symptoms, the years of study and the socioeconomical level contribute to the social skill of Conversation and Social Nimbleness, that is defined as the capability to approach, initiate, conduct and put an end to a conversation. The bigger the scores in this factor, more years of study and higher will be the socioeconomical level of the individual. On the other hand, lower the scores in this factor, more depressive symptoms are presented by the elderly. The capability of showing feelings and to approach a partner to initiate a sexual relationship, in other words, Sexual/Affective Approach, seems to be influenced by the gender, years of study, socioeconomical level, civil state and depressive symptoms. Generally, the results sugests that elderly with depressive symptoms show lower social skills in the Conversation and Nimbleness, Sexual/Affective Approach and general score of social skills.
As habilidades sociais em idosos têm sido consideradas como um aspecto relevante para a conquista de uma boa qualidade de vida na velhice. Em contrapartida, a ausência ou déficit em habilidades sociais pode tornar as relações interpessoais restritas e difíceis. Os déficits em habilidades sociais podem levar a transtornos psicológicos como timidez, isolamento social, suicídio e depressão. Desta forma, o objetivo principal dessa dissertação foi investigar a relação entre habilidades sociais e sintomas depressivos em idosos. Além disso, buscou identificar se as variáveis idade, escolaridade, renda, sexo e estado civil eram preditoras de habilidades sociais em idosos. Considerando os objetivos desta dissertação, foram desenvolvidos dois estudos empíricos.O primeiro estudo teve um delineamento transversal e exploratório e o segundo um delineamento quase experimental e comparativo. Em ambos os estudos, a amostra englobou 134 idosos, com 60 anos ou mais, recrutados em 17 grupos de convivência de idosos de Porto Alegre e região metropolitana. No segundo estudo, a amostra foi dividida em Grupo Caso, composto por indivíduos com sintomas depressivos, e Grupo Controle, sem sintomas depressivos. Os instrumentos aplicados foram: Miniexame do Estado Mental (MEEM), Ficha de Dados Sociodemográficos, o Critério de Classificação Econômica Brasil, Escala de Depressão Geriátrica (GDS-15) e o Inventário de Habilidades Sociais para Idosos (IHSI). No primeiro estudo, verificou-se que os sintomas depressivos, seguidos pelos anos de estudo e nível socioeconômico foram as variáveis que mais contribuíram para Conversação e Desenvoltura Social do IHSI. Os anos de estudo e o nível socioeconômico associaram-se positivamente a um maior escore em Conversação e Desenvoltura Social do IHSI. Já os sintomas depressivos se associaram negativamente com esse mesmo fator. Na Abordagem Afetivo/Sexual do IHSI, o sexo, a escolaridade, o nível socioeconômico, o estado civil e os sintomas depressivos respectivamente, também contribuíram conjuntamente para explicar esse fator. No segundo estudo, os idosos com presença de sintomas depressivos apresentaram escores significativamente mais baixos do que os sem sintomas depressivos nos fatores de Conversão e Desenvoltura e de Abordagem Afetiva/Sexual do IHSI. Com relação ao escore geral do IHSI, os idosos com sintomas depressivos também obtiveram menor desempenho quando comparados ao grupo de idosos sem sintomas depressivos. Assim, podese inferir que os sintomas depressivos, os anos de estudo e o nível socioeconômico contribuem para a habilidade social de Conversação e Desenvoltura Social, que é definida como a capacidade para abordar, iniciar, conduzir, e encerrar conversação. Quanto maiores os escores nesse fator, mais anos de estudo e mais alto o nível socioeconômico do indivíduo. Por outro lado, quanto menores os escores nesse fator mais sintomas depressivos são apresentados pelos idosos. A capacidade de expressar sentimentos e abordar parceiro para iniciar relacionamento sexual, ou seja, Abordagem Afetivo/Sexual parece ser influenciada pelo sexo, anos de estudo, nível socioeconômico, estado civil e sintomas depressivos. De maneira geral, os resultados sugerem que idosos com sintomas depressivos apresentam menores habilidades sociais nos fatores de Conversão e Desenvoltura, Abordagem Afetiva/Sexual e escore geral de habilidades sociais.
URI: http://hdl.handle.net/10923/5678
Aparece en las colecciones:Dissertação e Tese

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
000454965-Texto+Parcial-0.pdfTexto Parcial1,47 MBAdobe PDFAbrir
Ver


Todos los ítems en el Repositorio de la PUCRS están protegidos por derechos de autor, con todos los derechos reservados, y están bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional. Sepa más.