Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10923/5704
Type: doctoralThesis
Title: Vacinas em forma inativada e atenuada contra vírus influenza induzem diferente resposta celular imune e perfil de expressão gênica em crianças
Author(s): Cao, Raquel Giacomelli
Advisor: Stein, Renato Tetelbom
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Graduate Program: Programa de Pós-Graduação em Medicina e Ciências da Saúde
Issue Date: 2013
Keywords: MEDICINA
VACINAS
INFLUENZA HUMANA
Abstract: INTRODUCTION: Studies have shown that LAIV is more effective than TIV for prevention of influenza infection in young children, but the underlying mechanisms associated with protection are still not well defined. OBJECTIVES: To assess differences in cellular immunity and gene expression profiles in children after immunization with LAIV or TIV. METHODS: Peripheral blood of previously healthy children was collected pre and postvaccination and analyzed for B cells measurement and antibodies production. Microarray analyses were applied to assess the gene expression profiles. RESULTS: LAIV vaccinees showed number of naïve, memory and transitional B cells increased on day 1 compared to baseline (p<0. 05). TIV vaccinees showed the number of plasmablasts increased on day 7 post-vaccination (p≤0. 01). In addition, the titers for the three strains of the vaccine (H1N1, H3N2 and B) were significantly elevated on the TIV group when compared with the LAIV group. Regarding the transcriptional profiles presented, both vaccines induced interferon signaling, but in different time points, TIV 1 day postvaccination and LAIV 7 days post-vaccination, the last only in children younger than 5 years old. CONCLUSIONS: These results indicate that LAIV and TIV induced different immune responses in peripheral blood of vaccinated children and that both vaccines induce interferon signaling post-vaccination.
INTRODUÇÃO: Estudos têm demonstrado que a vacina contra os vírus influenza LAIV é mais eficiente que a formulação TIV para a prevenção de infecção em crianças, porém os mecanismos envolvidos ainda não estão bem definidos. OBJETIVOS: Acessar as diferenças na imunidade celular humoral e de expressão de perfis gênicos em crianças imunizadas com LAIV ou TIV.MÉTODOS: Sangue periférico de crianças previamente hígidas foi coletado pré e pósvacinação e analisado para mensuração de células B e para titulação de anticorpos. Análise pela técnica de microarranjos foi empregada para avaliação dos perfis de expressão gênica. RESULTADOS: Vacinação com LAIV induziu aumento do número absoluto de células B naïve, de memória e transicionais no após 30 dias comparado aos valores medidos antes da vacinação (p<0. 05). Vacinação com TIV, no entanto, induziu aumento de plasmoblastos no dia 7 pós-vacinação (p<0. 01). Os títulos de anticorpos para os três antígenos da vacina (H1N1, H3N2 e B) encontraram-se significativamente elevados no grupo vacinado com TIV quando comparado ao grupo que recebeu LAIV. Ambos os grupos vacinados induziram sinalização de genes relacionados ao interferon, porém em diferentes momentos: TIV induziu-os 1 dia pós-vacinação, enquanto LAIV 7 dias pós-vacinação, especialmente em crianças com menos de cinco anos de idade. CONCLUSÕES: Esses resultados sugerem que as vacinas LAIV e TIV induzem resposta celular imune diferente em crianças e que ambas induzem sinalização de interferon pós-vacinação.
URI: http://hdl.handle.net/10923/5704
Appears in Collections:Dissertação e Tese

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000455917-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo1,97 MBAdobe PDFOpen
View


All Items in PUCRS Repository are protected by copyright, with all rights reserved, and are licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License. Read more.