Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/5710
Tipo: masterThesis
Título: Kony 2012: ativismo civil e a vida moral no cibermundo
Autor(es): Pereira, Guilherme Mendes
Orientador: Rüdiger, Francisco Ricardo
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social
Data de Publicação: 2014
Palavras-chave: COMUNICAÇÃO SOCIAL
MOVIMENTOS SOCIAIS
CIBERESPAÇO
CIBERCULTURA
ÉTICA
Resumo: This dissertation investigates the moral issues related to the circulation of humanitarian campaign KONY 2012 on the Internet, which was created by the organization Invisible Children (IC) in 2012. This campaign has asked people to request international authorities for military support to the Uganda’s government so it can extinguish the actions of Joseph Kony, a leader of a movement responsible for the committal of many heinous crimes. This research is justified by the need to understand the cyber mediated communication and cultural phenomena, which put to the test modes of socialization and political organization, ethical standards and moral positions. Thus, this study is developed with observations and historical and sociological confrontations, seeking to understand the ambiguities and paradoxes of contemporary socialities. Based on methodological perspective indicated by Rüdiger (2011), this phenomenon is studied in two axes: movement and countermovement. The KONY 2012 movement consists in audiovisual productions and text comments that were important to the popularization of the cause. In its turn, the countermovement KONY 2012, in addition of severous audiovisual productions and text comments, also consists of actions that denied the campaign. To conduct the reflections about this subject, this study was guided by theoretical discussions about morals and morality in the postmodern world, based in Giddens (1991), Lipovestky (1994), Vattimo (1994) and Bauman (1997) perspectives. In this investigation, we realized that the movement and countermovement KONY 2012 showed that, despite the apparent unquestionability of the cause, the moral responsibility in the postmodern context remains complex and problematic. On the one hand, it records the possibility of free encounter with other worlds and ways; of the enjoyment of the free will, as an oscillatory experience between belonging and rootlessness in the society of generalized communication. On the other hand, the situation of morality in this context reveals the irresponsibility of subjects: the experimentation and the everyday spontaneous fruition, of the being and of the living on the basis of aesthetic sense, seem to be the best interests. Thus, we discuss that the said emancipatory technologies are not favorable when there is lack of awareness and moral responsibility.
A presente dissertação busca investigar os aspectos morais relacionados à veiculação na Internet da campanha humanitária KONY 2012, criada pela organização Invisible Children (IC) em 2012. Essa ação propôs que civis solicitassem às autoridades internacionais apoio militar ao governo de Uganda para que este conseguisse extinguir as ações de Joseph Kony, um líder de um movimento responsável pela consecução de diversos crimes hediondos. Esta pesquisa justifica-se pela necessidade de compreender os fenômenos comunicacionais e culturais cibermediados na atualidade, os quais têm colocado à prova modos de socialização e de organização política, parâmetros éticos e posicionamentos morais. Assim, o presente estudo é desenvolvido com observações e confrontações históricas e sociológicas, procurando entender as ambivalências e paradoxos das socialidades contemporâneas. Com base na matriz metodológica indicada por Rüdiger (2011), o fenômeno em tela é estudado em dois eixos: movimento e contramovimento. O movimento KONY 2012 trata-se de produções audiovisuais e comentários de texto que foram importantes para a popularização da causa. Já o contramovimento KONY 2012, além de produções audiovisuais e comentários de texto diversos, consiste também em ações que questionaram a campanha, intencionando pôr em xeque as suas mensagens e objetivos. Para conduzir as reflexões sobre o objeto, este estudo é orientado pelas discussões sobre moral e moralidade no mundo pós-moderno, tendo como principais referências Giddens (1991), Lipovestky (1994), Vattimo (1994) e Bauman (1997). Nesta investigação, percebeu-se que o movimento e o contramovimento KONY 2012 mostraram que, apesar da aparente inquestionabilidade da causa, a responsabilidade moral no contexto pós-moderno continua sendo complexa e problemática. Por um lado, registra-se a possibilidade de livre encontro com outros mundos e modos; de usufruir do livre-arbítrio enquanto experiência oscilatória entre pertença e desenraizamento na dita sociedade da comunicação generalizada. Por outro, a situação da moralidade nesse contexto revela a irresponsabilidade dos sujeitos: a experimentação e a fruição cotidiana, espontânea, do ser e o viver com base no sentido estético, parecem ser os interesses primordiais. Assim, discute-se que as ditas tecnologias emancipatórias não são favoráveis quando há carência de consciência e responsabilidade moral.
URI: http://hdl.handle.net/10923/5710
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000456047-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo6,16 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.