Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/573
Tipo: masterThesis
Título: Relação da velocidade de crescimento mandibular com estágios de ossificação das vértebras cervicais
Autor(es): Chevarria, Marcos Gonzales
Orientador: Lima, Eduardo Martinelli Santayana de
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Odontologia
Data de Publicação: 2006
Palavras-chave: ORTODONTIA
ORTOPEDIA FACIAL
MANDÍBULA
DENTES - RADIOGRAFIA
VÉRTEBRAS CERVICAIS
Resumo: Este estudo avaliou a velocidade de crescimento da mandíbula considerando a relação do crescimento com a maturação esquelética das vértebras cervicais, em indivíduos brasileiros, portadores de maloclusão de Classe I, II e III esquelética, durante o período puberal. Foram analisadas telerradiografias de perfil, obtidas em dois momentos, com intervalo de 6 a 18 meses, de 133 indivíduos, sendo 54 do gênero masculino e 79 do feminino, com idades entre 7 e 18 anos de idade. A amostra foi dividida em cinco grupos, de acordo com os estágios de maturação das vértebras. As telerradiografias de perfil foram traçadas e os pontos cefalométricos digitalizados no Software DentoFacial Planner Plus (DFL Plus, 2. 0). O ângulo ANB foi determinado para caracterização da amostra. Foram avaliadas as distâncias entre Co-Go, Go-Gn e Co-Gn entre as duas cefalometrias, obtendo-se uma taxa de crescimento anual.No tratamento estatístico utilizou-se análise de variância e teste de Tukey para comparar a velocidade de crescimento mandibular entre os estágios de maturação das vértebras cervicais e entre as classes, e teste t-student para comparar a velocidade de crescimento entre os gêneros. Os resultados indicaram que a velocidade média de crescimento da mandíbula foi maior no estágio 2 de maturação das vértebras cervicais. Os indivíduos do gênero masculino apresentaram pico de velocidade de crescimento nos estágios 2 e 3, enquanto nos indivíduos do gênero feminino, a velocidade de crescimento da mandíbula foi maior nos estágios 1, 2 e 3. Embora os indivíduos com padrão esquelético de Classe III exibissem as maiores dimensões iniciais da mandíbula, verificou-se similaridade para as velocidades de crescimento da mandíbula entre os portadores de Classes I, II e III.
This research evaluated the relationship of the mandibular growth velocity to the cervical vertebrae skeletal maturation, in Brazilian Class I, II e III individuals, during puberal period. The lateral cephalometric radiographs of 133 individuals, among 7 and 18 years of age, beeing 54 males and 79 females, obtained in two distinct moments in a 6 to 18 month interval, were evaluated. The sample were divided into five groups according to their cervical vertebrae skeletal maturation. The lateral head films were traced and digitalized on the Dentofacial Planner Plus Software (DFP Plus, 2. 0). The distances between Co-Go, Go-Gn and Co-Gn were analized and an anual growth rate was determined. Analisys of variance, Tukey test and t-student test was aplied. The results showed that the mandibular growth velocity was greater in the maturational stage 2. For the male gender, the peak of growth velocity occurs in stages 2 and 3, while the female gender showed higher values in stages 1, 2 and 3. The male gender showed grater growth velocity compared with the females gender. The skeletal Class III individuals presented higher mandibular dimensions, but there were no difference between the annuals growth rates in the Class I, II and III individuals.
URI: http://hdl.handle.net/10923/573
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000389375-0.pdfTexto Completo1,47 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.