Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10923/6889
Type: masterThesis
Title: Papel dos receptores P1 e da cafeína na proliferação de carcinoma de células escamosas de esôfago
Author(s): Abreu, Bianca Regina Ribas de
Advisor: Morrone, Fernanda Bueno
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Graduate Program: Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular
Issue Date: 2014
Keywords: BIOLOGIA CELULAR
ESÔFAGO - DOENÇAS
NEOPLASIAS ESOFÁGICAS
CAFEÍNA
ADENOSINA
Abstract: Esophageal cancer is the eighth most common cancer worldwide. The prognosis for this cancer is poor, generally, the overall survival rate is 10-15% with about five years of survival. Adenosine is present in different tissues of various organisms and plays an extremely important role in the purinergic system. Adenosine is produced directly or indirectly by ATP and its target P1 receptors which are G-protein coupled (A1, A2A, A2B and A3). Caffeine is a non-selective adenosine antagonist and has low affinity for A3 great affinity for A1, A2A and A2B. The objective of this study was to investigate the role of P1 purinergic receptors and the action of caffeine on the proliferation of squamous cell carcinoma of the esophagus, using the human lineage of squamous cell esophageal OE21.First we demonstrated that P1 receptors are expressed in the cell line by means of qRT-PCR and still A2A receptor expression was significantly reduced when these cells were treated with caffeine (100 μM). In addition to the caffeine treatment also decreases cell proliferation (1, 5 e 10 mM) and this effect was most likely a type of non-apoptotic cell death. Similarly, adenosine decreases cell viability (1, 5 and 10 mM) and proliferation (5 mM) via apoptosis and dipyridamole (10 μM) affect cell viability and did not alter the type of death caused. These results demonstrate the in vitro investigation of adenosine and caffeine in esophageal cancer receptors and this is a first step to understanding of purinergic signaling in esophageal cancer.
O câncer de esôfago é o oitavo câncer mais comum no mundo. O prognóstico para esse tipo de câncer é ruim, geralmente, a taxa de sobrevivência global é de 10-15% com cerca de cinco anos de sobrevida. A adenosina está presente em diferentes tecidos de vários organismos e tem um papel extremamente importante no sistema purinérgico. Ela é produzida direta ou indiretamente através do ATP e tem como alvo receptores purinérgicos P1 que são acoplados à proteína G (A1, A2A, A2B e A3). A cafeína é um antagonista não seletivo de adenosina e tem baixa afinidade pelos receptores A3 e grande afinidade pelos receptores A1, A2A e A2B. O objetivo deste trabalho foi investigar o papel dos receptores purinérgicos P1 e a ação da cafeína e da adenosina na proliferação de carcinoma de células escamosas de esôfago, utilizando a linhagem humana de carcinoma de células escamosas de esôfago OE21.Primeiro demonstramos que os receptores P1 estão expressos na linhagem celular através de qRT-PCR, e que a expressão do receptor A2A foi significativamente reduzida (p<0,05) quando essas células foram tratadas com cafeína (100 μM). Em adição o tratamento com a cafeína também diminui significativamente a viabilidade (1, 5 e 10 mM) das células e este efeito foi provavelmente um tipo de morte celular não-apoptótica. De modo semelhante, a adenosina diminui a viabilidade celular (1, 5 e 10 mM) e a proliferação (5 mM) através de apoptose, e o dipiridamol (10 μM) afetou a viabilidade celular e não alterou o tipo de morte causada. Estes resultados demonstram, através de investigação in vitro, a ação dos receptores P1 adenosina e da cafeína no câncer de esôfago e este é um primeiro passo para entender de sinalização purinérgica no câncer de esôfago.
URI: http://hdl.handle.net/10923/6889
Appears in Collections:Dissertação e Tese

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000462325-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo1,33 MBAdobe PDFOpen
View


All Items in PUCRS Repository are protected by copyright, with all rights reserved, and are licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License. Read more.