Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10923/6919
Type: doctoralThesis
Title: Eficácia da intervenção assistida por animais na autopercepção de saúde, autoestima, sintomas depressivos e qualidade de vida relacionada à saúde em idosos residentes em instituição de longa permanência
Author(s): Queiroz, Renata Coelho Freire Batista
Advisor: Schwanke, Carla Helena Augustin
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Graduate Program: Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica
Issue Date: 2014
Keywords: GERONTOLOGIA
AUTO-ESTIMA
DEPRESSÃO
QUALIDADE DE VIDA
ENVELHECIMENTO
SAÚDE DO IDOSO
Abstract: Introduction: Population aging and changes in family dynamics have taken a greater number of people residing in long term care facilities, it has reflected in the quality of life of elderly. Some non-drug and low cost therapies have proved effective in bringing therapeutic benefits for the elderly such as Animal Assisted Intervention (AAI).Purpose: Evaluate the effectiveness of the AAI in self-rated health, self-esteem, depressive symptoms and health related quality of life in elderly nursing home residents. Methods: This study was approved by Ethics Committee of PUCRS and followed the rules of Resolution 466/ 12 of the National Board of Health. In this clinical study, forty-two elderly were randomly and distributed into two groups, consisting of 21 elderly each. To the Intervention Group (IG) it was suggested the use of animal assisted intervention. Control Group (CG) maintained the regular activities of the institution. The research was conducted in three stages: first it was done an initial assessment for both groups, twelve weeks using animal assisted intervention for IG, and GC was followed-up, and final assessment was applied for two groups. The following instruments were used, the Mini Mental State Examination, Self-rated Health Evaluation, Rosenberg Self-esteem Scale, Short Geriatric Depression Scale, Health Related Quality of Life Questionnaire SF – 6D, data sheet including socioeconomic and health data, a Questionnaire to verify how was the experience with animals in the past and IG also did a questionnaire about the experience with AAI. The level of significance adopted was 5% (P<0,05). The absolute and relative frequencies and standard deviations were obtained. Continuous variables were described by mean and standard deviation or median and interquartile range. Results: It was found that the groups were homogeneous in all analyzed aspects, except age, which difference was significant (p = 0. 007). After AAI there was a significant improvement in self-rated health for IG (p=0,021), but this improvement didn´t sustained after adjusting age (P=0,052). Comparing IG with CG there was a significant difference (P=0,010), even after adjusting age (p=0,009). It was noted significant improvement in self-steem to IG (p<0,001), but it got worse in CG (P=0,014). When comparing the groups the difference it was statistically significant (p<0,001), even after adjusting age (p<0,001). It was noted statistically relevant reduction in the average values of GDS for IG (P<0,001). When comparing the groups, the difference was significant (p<0,001) even after adjusting age (P<0,001). In both groups a percentage variation among the elderly who had depressed symptoms did not have statically significance. It was noted improvement in Health Related Quality of Life for IG (p<0,001). Otherwise the Control group got worst in this score (p=0,013). There was a statically significant difference between two (P<0,001), even after adjusting age (p<0,001). In case of associations among scales it was observed significant association between GDS and SF- 6D, self-esteem and SF- 6D, and self-rated health and GDS. In the CG it was observed significant relation between self -esteem and GDS. Conclusion: The results point out that IAA has improved the self-esteem, depressed symptoms and health related quality of life of the elderly resident of long-term care facilities.
Introdução: O envelhecimento populacional e as mudanças na dinâmica familiar estão levando um número maior de pessoas a residirem em Instituições de Longa Permanência (ILPI), refletindo na qualidade de vida dos idosos. Algumas terapias não medicamentosas e de baixo custo têm se mostrado eficazes em trazer benefícios terapêuticos aos idosos, entre elas, a Intervenção Assistida por Animais (IAA).Objetivo: Analisar a eficácia da IAA na autopercepção de saúde, autoestima, sintomas depressivos e qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS) em idosos residentes em ILPI, na cidade de João Pessoa-Pb.Métodos: Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da PUCRS, segundo a Resolução 466/12 do Conselho Nacional de Saúde. Foi realizado um ensaio clínico, no qual foram randomizados 42 idosos, sendo 21 participantes do Grupo intervenção (GI), para o qual foi ofertada a atividade com animais, e 21 idosos do Grupo Controle (GC), para os quais mantiveram-se as atividades regulares da instituição. O estudo foi realizado em três fases: uma avaliação inicial, 12 semanas de intervenção com animais para o GI e acompanhamento para o GC, e uma avaliação final. Os instrumentos aplicados foram o Mini Exame do Estado Mental, Avaliação de Autopercepção de Saúde, Escala de Autoestima de Rosenberg, Escala de Depressão Geriátrica Reduzida, Questionário de Qualidade de Vida Relacionada à Saúde SF-6D, ficha informativa com dados sociodemográficos e de saúde, questionário para averiguação do histórico de vivência com animais e, para o GI, um questionário para avaliação da experiência com IAA. O nível de significância adotado neste estudo foi de 5% (P<0,05). As variáveis categóricas foram descritas por frequências absolutas e relativas. As variáveis contínuas foram descritas por média e desvio padrão ou mediana e amplitude interquartílica. Resultados: Constatou-se que os grupos eram homogêneos em todos os aspectos analisados, exceto na faixa etária, sendo esta diferença significativa (p= 0,07). Após a IAA, houve melhora significativa na autopercepção de saúde dos idosos no GI, mas não se manteve após o ajuste da idade (p=0,052). Na comparação entre os grupos, a diferença foi significativa, mesmo após o ajuste pela idade (p= 0,09). Quanto à autoestima, notou-se melhora significativa no GI (p<0,001), enquanto que no GC apresentou piora (p=0,014). Na comparação entre os grupos, a diferença foi significativa, mesmo após o ajuste pela idade (p<0,001). Foi percebida redução estatisticamente significativa nos valores da mediana da EDG para o GI (p<0,001). Na comparação entre os grupos, a diferença foi significativa, mesmo após o ajuste pela idade (p<0,001). A variação do percentual de idosos que apresentavam sintomas depressivos não teve significância estatística em nenhum dos grupos. Observou-se melhora significativa no escore de qualidade de vida para o GI (p<0,001), enquanto que no GC constatou-se piora (p= 0,013), sendo estatisticamente significativa, após o ajuste pela idade (p<0,001). Na associação entre as escalas, foram observadas no GI correlações significativas entre as escalas EDG e SF-6D, autoestima e SF-6D e autopercepção de saúde e EDG. No GC observou-se correlação significativa entre autoestima e EDG. Constatou-se melhora significativa no escore de QVRS no GI (p<0,001), enquanto que no GC houve piora (p<0,013). Na comparação entre os grupos, a diferença foi significativa, mesmo após o ajuste pela idade (p<0,001).Conclusão: os resultados indicam que a IAA promoveu melhora na autoestima, nos sintomas depressivos e na qualidade de vida relacionada à saúde entre idosos institucionalizados.
URI: http://hdl.handle.net/10923/6919
Appears in Collections:Dissertação e Tese

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000462451-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo3 MBAdobe PDFOpen
View


All Items in PUCRS Repository are protected by copyright, with all rights reserved, and are licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License. Read more.