Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://hdl.handle.net/10923/7695
Tipo: doctoralThesis
Título: O trabalho das (os) psicólogas (os) no SUAS: materializando a assistência social enquanto política social pública
Autor(es): Motta, Roberta Fin
Orientador: Pizzinato, Adolfo
Editor: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Fecha de Publicación: 2015
Palabras clave: PSICOLOGIA
PSICOLOGIA SOCIAL
PSICÓLOGOS - ATUAÇÃO PROFISSIONAL
ASSISTÊNCIA SOCIAL
SISTEMA ÚNICO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL
POLÍTICAS PÚBLICAS
CENTROS DE REFERÊNCIA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL
Resumen: This thesis brings up the insertion of Psychology in the public social assistance politics, particularly in Social Work, and more specifically, in the process of building the processes of the job that affects directly on the daily routine of the psychologists who work at SUAS (Social Assistance Care System), especially those who work at the CRASs (Social Assistance Reference Centers) connected to the FASC (Social Assistance and Citizenship Foundation) of Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brazil. This thesis is organized in three sections. The first section consists of a study about published academic production about Psychology in the Social Work in Brazil, with emphasis in its relationship with the CRASs. This draws a possibility to analyze the historical evolution of the researcher’s preoccupation regarding this issue, as well as observation of some basic characteristics of the productions. For this, a study took place inspired on a narrative review proposal with consultation of the electronic databases. In the second section, there is an attempt to characterize and discuss the work of the psychologists within the SUAS, more specifically of those working at the CRASs. This study parts from the premise that the psychologists are employed in the Social Assistance System, essential to the engineering and weaving of the politics, as well as being necessary to the users to warrant access to their social rights. The third and last section debates about the work processes and the practices of the psychologists. These last two studies are based on research analysys done with 27 professionals connected to CRASs, where data was collected through interviews and analysed with the help of Fundametal Theory (FT). The results obtained indicate that in the last years there has been an important involvement and investment in the Social Assistance area. Moreover, Social Assistance has been helping in the expansion and interiorization of the profession and in the development of practices different from the traditional. It is identified that the workers are working under adverse conditions that can be made explicit in the areas of formation and work relations, showing itself from the ways of hiring up to the development of routine activities in the SUAS. It is also highlighted, due to the field being new and in expansion, that its materialization as a source of reference of help to the social needs of the population still needs mediations for it to take place. The characterization of the psychologists workers of SUAS in Porto Alegre shows there are countless challenges in order to build a professional make that is commited with social rights. At last, even with the advances, implementation and regulation of SUAS is still not a complete reality in the daily work of professionals at CRASs. It is pointed out, especially, the challenge of the formation that, according to the interviewees, is still poor when it comes to prepare for working in the social sphere, lacking both references and techniques to complement the knowledge already instilled in the profession.
A presente Tese aborda a inserção da Psicologia nas Políticas Sociais Públicas, particularmente a Assistência Social, mais especificamente, o processo de construção dos processos de trabalho que repercutem diretamente no cotidiano das (os) psicólogas (os) que atuam no Sistema Único de Assistência Social (SUAS) e, especialmente, nos Centros de Referência da Assistência Social (CRASs), vinculados à Fundação de Assistência Social e Cidadania (FASC), da cidade de Porto Alegre, estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Esta Tese está organizada em três seções. A primeira seção consiste num estudo sobre a produção acadêmica publicada da Psicologia na Assistência Social brasileira, com especial ênfase na sua relação com os CRASs. Tal desenho possibilita a análise da evolução histórica da preocupação das (os) pesquisadoras (es) a respeito deste tema, assim como a observação de algumas das características fundamentais desta produção. Para tanto, foi realizado um estudo inspirado em uma proposta de revisão narrativa com consulta às bases de dados eletrônicas. Na segunda seção procura-se caracterizar e discutir o trabalho da (o) psicóloga (o) no âmbito do SUAS, especificamente das (os) trabalhadoras (es) que atuam nos CRASs. Tal estudo parte da premissa de que a (o) profissional da Psicologia é uma (um) trabalhadora (or) da Assistência Social, fundamental para a engrenagem e a tecelagem da política, assim como necessária (o) para a garantia do acesso das (os) usuárias (os) ao direito social. A terceira e última seção debate os processos de trabalho e as práticas das (os) psicólogas (os). Estes dois últimos estudos estão alicerçados em análise de pesquisa realizada com 27 profissionais vinculadas (os) aos CRASs, sendo que os dados foram obtidos por meio de entrevistas e analisados com o apoio na Teoria Fundamentada (TF). Os resultados alcançados indicaram que nos últimos anos há um envolvimento e um investimento importantes da área em relação à Assistência Social. Além disso, a Assistência Social tem colaborado para a expansão e interiorização da profissão e para o desenvolvimento de práticas diferentes das tradicionais. Identifica-se, que as (os) trabalhadoras (es) estão submetidas a condições adversas que podem ser explicitadas no campo da formação e das relações de trabalho, aparecendo desde o modo de contratação até o desenvolvimento das atividades rotineiras do trabalho no SUAS. Destaca-se ainda que, por ser este um campo novo e em expansão, sua materialização como atendimento às necessidades sociais da população ainda carece da construção de mediações para a sua realização. A caracterização das (os) trabalhadoras (es) psicólogas (os) do SUAS em Porto Alegre aponta inúmeros desafios para a construção de um fazer profissional comprometido com os direitos sociais. Por fim, apesar dos avanços, a regulação e a implementação do SUAS ainda não são uma completa realidade no cotidiano de trabalho das (os) profissionais nos CRASs. Ressalta-se, especialmente, o desafio da formação que, conforme apontam as (os) entrevistadas (os), ainda é precária no que tange ao preparo para a atuação no âmbito social, carecendo tanto de referenciais como de técnicas que complementem os fazeres e saberes já instituídos na profissão.
URI: http://hdl.handle.net/10923/7695
Aparece en las colecciones:Dissertação e Tese

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
TES_ROBERTA_FIN_MOTTA_PARCIAL.pdfTexto parcial809,82 kBAdobe PDFAbrir
Ver


Todos los ítems en el Repositorio de la PUCRS están protegidos por derechos de autor, con todos los derechos reservados, y están bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional. Sepa más.