Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/7756
Tipo: masterThesis
Título: Processamento discursivo e executivo pós-traumatismo cranioencefálico
Autor(es): Pereira, Natalie
Orientador: Fonseca, Rochele Paz
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Data de Publicação: 2015
Palavras-chave: PSICOLOGIA COGNITIVA
NEUROPSICOLOGIA
COMUNICAÇÃO - PSICOLOGIA
LINGUAGEM - PSICOLOGIA
Resumo: This dissertation contains two empirical articles which investigated the communication skills and executive functions of adults with traumatic brain injury (TBI) upon hospital admission (inpatients) and after hospital discharge (outpatients). The aim of the first study was to compare discursive, pragmatic, lexical-semantic, reading and writing skills between inpatients with TBI (iTBI) and adults with no neurological damage. Our results showed between-group differences on all parameters evaluated, with control participants outperforming the iTBI group across all measures used in the study. The aim of the second investigation was to identify differences between outpatients with mild or severe TBI (oTBI) and healthy adults on communicative and executive functions, as well as to investigate associations and dissociations between patterns of impairment in the oTBI sample. The two groups differed in their performance on conversational and narrative discourse tasks, as well as on the following executive functions: planning, cognitive flexibility, working memory, processing speed and inhibitory control. Overall, the findings suggested that even subjects with relatively mild lesions and a theoretically good prognosis may experience impairments in discourse processing. The patient group was then further divided according to TBI severity, and differences in executive functions were identified between these two subgroups, as well as between each of these categories and the control group. Patients with severe TBI performed worse than control participants and subjects with mild TBI, and differences between patients with mild and severe TBI were identified in both studies. Lastly, the TBI groups showed dissociations between impairments in rule maintenance and processing speed, and associations between cognitive performance on planning tasks. These findings contributed to the current literature on the continuum of communicative and executive impairment profiles across all levels of TBI severity. The analyses performed in this dissertation may be used in public health services to perform a more accurate assessment of patients with TBI and improve prognostic accuracy, since some impairments may have an impact on global functioning and affect the length of the post-TBI recovery period.
A presente dissertação de mestrado compreende dois artigos empíricos que pretendem explorar a avaliação dos processamentos comunicativos e executivos de pacientes adultos com traumatismo cranioencefálico (TCE) em dois momentos após a lesão cerebral: no momento da internação (inpatients) e após alta hospitalar (outpatients). O primeiro estudo objetiva comparar os processamentos discursivo, pragmático, léxico-semântico, de leitura e de escrita de pacientes adultos pós TCE do tipo inpatients (TCEi), comparando o desempenho com indivíduos sem lesão cerebral. Os resultados indicaram que os participantes se diferenciaram nos quatro processamentos comunicativos sendo que o grupo com TCE teve pior desempenho.O segundo estudo teve como objetivo verificar se existem diferenças entre pacientes pós-TCE - do tipo outpatients com gravidades leve e grave - e indivíduos saudáveis, quanto ao desempenho nos processamentos comunicativos e executivos, além de identificar se associações e dissociações existem na amostra de TCE. Encontraram-se diferenças entre grupos nos escores do discurso conversacional e narrativo e nas habilidades executivas de planejamento, flexibilidade cognitiva, memória de trabalho, velocidade de processamento e inibição. Tais achados, de forma geral, indicam que pacientes com menor lesão e teoricamente melhor prognóstico, podem apresentar desempenho discursivo abaixo do esperado. Além disso, as tarefas indicaram diferenças nas habilidades executivas entre os três grupos. pacientes com TCE grave tiveram pior desempenho do que controles e pacientes com TCE leve, ainda TCE leve diferenciou-se dos graves nos dois estudos. Por último, dissociações entre os grupos de TCE foram encontradas nos itens de manutenção de regras e velocidade de processamento e associações encontradas nos itens de planejamento. Os resultados dos dois estudos empíricos contribuem para a comunidade científica em entender um perfil contínuo de dificuldades mesmo em pacientes com o menor índice de gravidade de lesão. As análises apresentadas nessa dissertação de mestrado são possíveis de serem implementadas nos serviços públicos para avaliação mais apurada desses pacientes e para identificar melhor prognóstico já que algumas dificuldades podem afetar globalmente o funcionamento dos pacientes e dificultar, inclusive, o período de recuperação pós lesão cerebral.
URI: http://hdl.handle.net/10923/7756
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000476839-Texto+Parcial-0.pdfTexto Parcial917,89 kBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.