Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/7844
Tipo: doctoralThesis
Título: Habilidades sociais e de enfrentamento no tratamento de usuários de crack
Autor(es): Coelho, Leda Rúbia Maurina
Orientador: Oliveira, Margareth da Silva
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Psicologia
Data de Publicação: 2016
Palavras-chave: PSICOLOGIA
COCAÍNA CRACK
TRATAMENTO COM DROGAS
TRANSTORNOS RELACIONADOS AO USO DE SUBSTÂNCIAS - ASPECTOS SOCIAIS
Resumo: This thesis describes the development and evaluation of the effects of a coping and social skills training – CSST program for people who use crack, using as an intervention approach the Relapse Prevention Model. Initially the theoretical and practical contexts of the research are presented, addressing the issues that this thesis set out to answer. To clarify these questions the thesis was structured in three sections. In the first section, the mixed design study aimed to investigate the coping skills and strategies of individuals who use crack. Participants had a lower middle repertoire in the “Inventário de Habilidades de Enfrentamento Antecipatório para a Abstinência de Álcool e outras Drogas – IDHEA-AD” and from transcripts of the interviews were created four categories:"Coping skills and plans for risk situations","Expression of feelings," "Emotional self-control" and "Avoidance strategies". The description of social skills repertoire, anticipatory coping skills and self-efficacy of crack users before, immediately after completion of the training program and after three months is presented in section II. The findings of this quasi-experimental study demonstrated that participants had higher self-efficacy CSST scores for maintaining abstinence afterwards intervention. As for the overall IDEA-AD scores and the factors 1 -"Assertiveness and planning for high-risk situations and substance consumption" and 2 -"Emotional expression of positive feelings for abstinence maintenance" presented themselves lower middle before CSST as repertoire below average at the end of the intervention, and in-depth repertoire above average after three months. For the factor 3 scores -"Emotional self-control in adverse situations" participants had a good repertoire of coping skills in the initial assessment, increasing to in-depth repertoire in the post-CSST and thus remaining at follow-up. In analysis of overall scores and IHS-Del-Prette factors participants retained the measures unchanged during the pursuance, presenting a good repertoire of social skills. In section III predictive factors in crack withdrawal were studied. In this prospective investigation the following variables were considered as predictive of abstinence: be working in the initial assessment, improved performance in block design and digit span WAIS-III subtests, higher grades in IDHEA-AD final score, and especially in Factor 1, which refers to the assertive coping skills and plans for drug use risk situations. Variables gender, age, be studying, education, family income, as well as symptoms of depression, anxiety and stress, self-efficacy for abstinence from illicit drugs and participation in CSST program did not predict crack withdrawal.
A presente tese aborda o desenvolvimento e a avaliação dos efeitos de um programa de treinamento de habilidades sociais e de enfrentamento - THSE para pessoas que usam crack, utilizando como abordagem de intervenção o Modelo de Prevenção de Recaída. Inicialmente são apresentados os contextos teórico e prático da pesquisa, abordando as questões que esta tese se propôs a responder. Para elucidar estes questionamentos a tese foi estruturada em três seções. Na primeira seção, o estudo de delineamento misto teve como objetivo investigar as estratégias e habilidades de enfrentamento de indivíduos que usam crack. Os participantes apresentaram um repertório médio inferior no Inventário de Habilidades de Enfrentamento Antecipatório para a Abstinência de Álcool e outras Drogas - IDHEA-AD, e foram criadas quatro categorias a partir das transcrições das entrevistas coletivas: “Habilidades de enfrentamento assertivas e planos para situações de risco”, “Expressão de sentimentos”, “Autocontrole emocional” e “Estratégias de evitação”. A descrição do repertório de habilidades sociais, habilidades de enfrentamento antecipatório, bem como a autoeficácia de pessoas usuárias de crack antes, imediatamente depois o término do programa de treinamento e após três meses é apresentada na seção II. Os achados deste estudo quase experimental demonstraram que os participantes do THSE apresentaram maiores escores de autoeficácia para manutenção da abstinência após a intervenção. Já os escores total IDHEA-AD e dos fatores 1 - “Assertividade e planejamento para situações de alto risco e consumo de substâncias” e 2 - “Expressão emocional de sentimentos positivos para manutenção da abstinência” apresentaram-se médio inferiores antes do THSE, como repertório abaixo da média logo ao término da intervenção, e como repertório elaborado acima da média após três meses. Para os escores do fator 3 - “Autocontrole emocional em situações adversas” os participantes apresentaram um bom repertório de habilidades de enfrentamento na avaliação inicial, passando para um repertório elaborado no pós-THSE e mantendo-se assim no follow-up. Na análise dos escores total e dos fatores do IHS-Del- Prette os participantes conservaram as medidas inalteradas ao longo do seguimento, apresentando um bom repertório de habilidades sociais. Na seção III foram estudados os fatores preditivos na abstinência de crack. Nesta investigação prospectiva foram preditivas de abstinência as seguintes variáveis: estar trabalhando na avaliação inicial, melhor desempenho nos subtestes WAIS-III de cubos e dígitos, maiores pontuações no escore total do IDHEA-AD, e especialmente no Fator 1 que refere-se as habilidades de enfrentamento assertivas e a planos para situações de risco de uso de drogas. As variáveis sexo, idade, estar estudando, escolaridade, renda familiar, bem como sintomas de depressão, ansiedade e estresse, autoeficácia para abstinência de drogas ilícitas e a participação no programa de THSE não predisseram abstinência de crack.
URI: http://hdl.handle.net/10923/7844
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000477488-Texto+Parcial-0.pdfTexto Parcial795,04 kBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.