Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/8124
Tipo: doctoralThesis
Título: Neuro reabilitação com jogos eletrônicos controlados por movimento corporal em idosos portadores de comprometimento cognitivo leve
Autor(es): Assis, Simone Aparecida Celina das Neves
Orientador: Izquierdo, Ivan Antônio
Pinho, Márcio Sarroglia
Schwanke, Carla Helena Augustin
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Gerontologia Biomédica
Data de Publicação: 2015
Palavras-chave: IDOSOS - ATIVIDADES COGNITIVAS
NEUROPSICOLOGIA
MEMÓRIA - IDOSOS
GERONTOLOGIA BIOMÉDICA
MEDICINA
Resumo: Introduction: Epidemiological studies have shown that practicing, in the course of life, activities such as studying, working and leisure promotes what science calls cognitive reserve, a type of brain resilience that makes the individual that has this property more tolerant to the pathological decline of cognition than others. Studies have evidence that keeping practicing these activities late in life may increase this reserve and reduce the risk of Alzheimer's Disease development. Currently, a modality of cognitive training, neurorehabilitation using video games, has demonstrated a likely positive effect on different domains of cognition, especially on memory. Goal: To verify the effect of cognitive training modality, neurorehabilitation using video games controlled by body movements, on the cognition of elderly individuals suffering from amnestic Mild Cognitive Impairment (MCI), clustered in three educational levels, primary, secondary and higher education. Methods: Eighty-nine elderly women suffering from amnestic Mild Cognitive Impairment (aMCI) completed the intervention period of a cognitive neurorehabilitation program. The elderly were grouped in three educational levels, primary, secondary and higher education. Participants were also divided into an Experimental Group (EG) and Control Group (CG) for each educational level. EG included 44 participants and CG, 45. The period of cognitive intervention was three months, 12 weeks, 24 sessions (60 minutes each) twice a week, with total workload of 24 hours. Cognitive performance was assessed using neuropsychological tests before and after the 24 intervention sessions. The control group participated in cognitive performance assessments and meetings with the team of investigators (psychoeducational lectures). Instruments administered included the 3rd edition of the Wechsler Memory Scale (WMS III) and the 3rd edition of the Wechsler Adult Intelligence Scale (WAIS III).Results: A two-way repeated measures ANOVA demonstrated the interaction between session, education and group. Cognitive intervention improved the performance of the elderly with primary education in all memory measures of the WMS III; whereas the performance of the elderly with secondary education improved in some memory measures, such as immediate and delayed auditory memory, immediate memory, and general memory. There is no improvement on performance in memory measures of the elderly group with higher education. The intervention did not change the performance of volunteers in the WAIS III intelligence measures to which participants were subjected. Conclusion: Findings demonstrated that the benefit found in the performance in all memory measures for elderly women with primary education resulted from the plastic stimulation promoted by the cognitive training period, cognitive tasks using video games, therapeutic setting of the cognitive training program and, especially, the motivation of participants to learn during aging. The combination of all these variables led to new experiences and learning for the elderly. The findings suggest that the improvement in performance in the ability of the memory of elderly women with basic education be assimilated to the performance of the elderly participants with a higher education level. We can conclude that the new experiences and motivation alert brought about by the opportunity to learn promoted the consolidation of learning in volunteers with a lower educational level.
Introdução: Estudos epidemiológicos têm demonstrado que praticar ao longo da vida atividades como estudo, trabalho e lazer promovem o que a ciência denomina de reserva cognitiva, uma forma de resiliência cerebral que torna o indivíduo que a possui mais tolerante ao declínio patológico da cognição do que outros. Estudos evidenciam que manter a pratica destas atividades tardiamente na vida pode aumentar esta reserva e reduzir o risco de desenvolvimento da Doença de Alzheimer. Atualmente, uma modalidade de treino cognitivo, a neuro reabilitação com o uso de jogos de vídeo game tem demonstrado potencial efeito positivo em diferentes domínios da cognição, em especial na memória. Objetivo: Verificar os efeitos de uma modalidade de treino cognitivo, a neuro reabilitação com o uso de jogos de vídeo game controlados por movimento corporal na cognição de idosos portadores de Comprometimento Cognitivo Leve tipo amnésico (a CCL) agrupados em três níveis educacionais ensino fundamental, médio e superior.Métodos: 89 idosas portadoras de Comprometimento Cognitivo Leve tipo amnésico (aCCL) completaram o período de intervenção de um programa de neuro reabilitação cognitiva. As idosas foram agrupadas em três níveis educacionais fundamental, médio e superior. As participantes, também, foram divididas em Grupo Experimental (GE) e Grupo Controle (GC) para cada nível educacional. O GE contou com 44 participantes e o GC com 45. O período da intervenção cognitiva foi de 3 meses, 12 semanas, 24 sessões (60 minutos cada) por 2 vezes/semana com carga horária total de 24 horas. Foram realizadas avaliações de desempenho cognitivo com testes neuropsicológicos antes e após as 24 sessões de intervenção. O grupo controle participou das avaliações de desempenho cognitivo e de encontros com o time de pesquisadores (palestras psicoeducativas). Os instrumentos administrados incluíram a Escala Wechsler de Memória 3ª Ed. (WMS III) e a Escala Wechsler de Inteligência para adultos 3ª Ed. (WAIS III).Resultados: ANOVA de duas vias mais medidas repetidas demonstra interação entre sessão, educação e grupo. A intervenção cognitiva melhorou o desempenho das idosas com ensino fundamental em todas as medidas de memória da Escala Wechsler de Memória 3ª ed. (WMS III). Por outro lado, a intervenção cognitiva melhorou o desempenho das idosas com ensino médio em algumas medidas de memória como, memória auditiva imediata e tardia, memória imediata e memória geral. E não há melhora no desempenho em medidas de memória no grupo de idosas com ensino superior. A intervenção não alterou o desempenho das voluntárias em medidas de inteligência da Escala Wechsler de Inteligência 3ª ed. (WAIS III) as quais as participantes foram submetidas. Conclusão: Os achados demonstram que o benefício encontrado no desempenho em todas as medidas de memória para idosas com ensino fundamental foram resultantes da estimulação plástica promovida pelo tempo de treino cognitivo, pelas tarefas cognitivas dos jogos de vídeo game, pelo setting terapêutico do programa de treino cognitivo e principalmente pela motivação das participantes em aprender no envelhecimento. Todos esses fatores em conjunto promoveram novas experiências e aprendizagens para as idosas. Os achados sugerem que a melhora no desempenho na habilidade de memória das idosas com ensino fundamental pode ser equiparado ao desempenho das idosas participantes com escolaridade mais alta. Podemos concluir que as novas experiências e o alerta motivacional gerado pela oportunidade de aprender promoveram a consolidação do aprendizado nas voluntárias com baixo nível educacional.
URI: http://hdl.handle.net/10923/8124
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000478283-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo2,62 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.