Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10923/826
Type: doctoralThesis
Title: Concentrações salivares de cortisol, desidroepiandrosterona (DHEA) e variáveis psicológicas em pacientes com ulceração aftosa recorrente
Author(s): Michel, Anete Rejane
Advisor: Salum, Fernanda Gonçalves
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Graduate Program: Programa de Pós-Graduação em Odontologia
Issue Date: 2011
Keywords: ODONTOLOGIA
PATOLOGIA BUCAL
AFTA
HIDROCORTISONA
ANSIEDADE
ESTRESSE
Abstract: A ulceração aftosa recorrente (UAR) é uma das doenças mais prevalentes da mucosa bucal, mas o mecanismo que desencadeia seu desenvolvimento permanece desconhecido. Alterações psicológicas como ansiedade e estresse têm sido investigadas e parecem exibir, em alguns pacientes, associação com a doença. O estresse promove desregulação do sistema imune e está relacionado a elevação dos níveis de cortisol e diminuição dos de desidroepiandrosterona (DHEA). No presente estudo, foram investigados níveis de estresse e de ansiedade empacientes com UAR, bem como as concentrações salivares dos hormônios cortisol e DHEA. A amostra foi constituída por 60 indivíduos de ambos os sexos, com idades entre 18 e 50 anos, distribuídos em dois grupos: 30 pacientes com UAR e 30 pacientes sem histórico da doença, emparelhados por sexo e idade. Para a investigação dos sintomas de estresse foi utilizado o Inventário de Sintomas de Stress de Lipp (ISSL) e para a ansiedade, o Inventário de Ansiedade de Beck (BAI). As amostras de saliva foram coletadas pela manhã, à tarde e à noite, no mesmo dia. No grupo-caso, as coletas foram realizadas em dois momentos, em presença e após a remissão das lesões. As concentrações salivares de cortisol e DHEA foram analisadas em duplicata por radioimunoensaio com Kit analítico específico para cada hormônio. Os pacientes-caso exibiram escores de ansiedade (p=0,001) mais elevados, além de prevalência superior de estresse (p=0,004). No grupo-caso, os níveis de cortisol foram significativamente superiores em presença de lesão, nos turnos da manhã (p=0,008) e da tarde (p=0,001), quando comparados à fase de remissão da UAR. O ratio cortisol/DHEA também foi superior nos pacientes-caso em presença de lesão quando comparado à fase de remissão, no turno da tarde (p=0,007). Não houve diferença significativa quanto aos níveis de DHEA entre os grupos analisados. Com base nos resultados obtidos, pode-se concluir que, na amostra investigada, o estresse e a ansiedade são mais elevados em pacientes com UAR. Nestes indivíduos, os níveis de cortisol salivar aumentam em presença de lesão, mas não diferem quando comparados aos de pacientes sem a doença. Os níveis de DHEA não diferem em pacientes com UAR em presença ou em remissão de lesão, nem quando comparados aos de pacientes-controle. Outros estudos são necessários no sentido de elucidar se o estresse e a ansiedade, bem como se a 7 elevação dos níveis de cortisol exercem influência na etiopatogênese da ulceração aftosa recorrente.
Recurrent aphthous ulceration (RAU) is one of the most prevalent disease of the oral mucosa, but the mechanism that leads to the development of this lesion remains unknown. Psychological changes such anxiety and stress have been investigated and appear to exhibit, in some patients, an association with the disease. Stress causes dysregulation of the immune system and is related to elevated levels of cortisol and a decrease in dehydroepiandrosterone (DHEA) levels. In the present study, patients with RAU were investigated with regard to stress and anxiety levels, as well as salivary concentrations of the hormones cortisol and DHEA. The sample consisted of 60 individuals of both sexes, aged between 18 and 50 years and distributed into two groups: 30 patients with RAU and 30 patients without history of the disorder, matched by sex and age. Stress symptoms were assessed using the Lipp’s Inventory of Stress Symptoms (LISS) and for anxiety the Beck Inventory of Anxiety (BAI). The saliva specimens were collected in the morning, in the afternoon and at night on the same day. In the RAU group, the specimens were collected on two occasions, in the presence and after remission of the lesions. The salivary concentrations of cortisol and DHEA were determined in duplicate by radioimmunoassay with a specific analytical kit for each hormone. The case patients exhibited higher anxiety scores (p=0.001), besides a greater prevalence of stress (p=0.004). Cortisol levels were significantly higher in the case group in the presence of the lesion in the morning (p=0.008) and afternoon (p=0.001) when compared to the same RAU patients in remission. The cortisol/DHEA ratio was also higher in the case patients in the presence of lesions when compared to the remission phase in the afternoon (p=0.007). There was no significant difference in DHEA levels between the groups. Based on the results obtained, it can be concluded that, in the sample investigated, stress and anxiety are more elevated in patients with RAU. In these individuals, salivary cortisol levels were increased in the presence of lesions, but did not differ when compared to the patients without the disorder. DHEA levels did not differ in patients with RAU in the presence or in remission of the lesion, or between RAU patients and control patients. There is a need for further studies to determine whether stress and anxiety, as well as elevated cortisol levels, have an influence on the etiopathogenesis of recurrent aphthous ulceration.
URI: http://hdl.handle.net/10923/826
Appears in Collections:Dissertação e Tese

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
436994.pdf4,34 MBAdobe PDFOpen
View


All Items in PUCRS Repository are protected by copyright, with all rights reserved, and are licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License. Read more.