Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/8523
Tipo: masterThesis
Título: Efeitos do tratamento de maloclusão de classe II divisão 1 utilizando aparelho extrabucal com diferentes tipos de tração
Autor(es): Vargas, Diogo Antunes
Orientador: Lima, Eduardo Martinelli Santayana de
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Odontologia
Data de Publicação: 2014
Palavras-chave: MALOCLUSÃO
CEFALOMETRIA
APARELHOS ORTODÔNTICOS
ORTODONTIA
ODONTOLOGIA
Resumo: The aim of this study was to verify the effects of the headgear (HG) with low traction and high traction on the upper molars, maxilla, mandible and maxillomandibular anteroposterior relationship, as the first step of treatment of Class II malocclusion. The sample comprised of 110 radiographies of 55 patients, 10. 3 mean age, divided into 2 groups: Group 1 (n= 37), HG low traction; Grup 2 (n=18), HG high traction. Each group patients were treated until a Class I molar relationship were reached. The results showed distal displacement of molars in Group1 (P< 0,001), with higher distal inclination in Group 1 (P< 0,001). Significant extrusion in the molars (P< 0,001) with clockwise rotation of palatal plane (P< 0,05) in Group 1. In Group 2 no estatistical differences were showed in the molars position. No difference was observed in the anterior positioning of maxilla in both groups. Mandibular forward growth was observed in both groups but more mandibular forward group between T1 and T2 in Group 1(P<0,001) and wtih significant difference between the groups (P>0,05). Maxillomandibular improvement was not significant. Mandibular clockwise rotation was not significant. Considering results, it is possible to conclude, that both treatment was efficient, with more significant results in Group 1, but also with more dental collateral effects.
Introdução: o objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos do aparelho extrabucal (AEB) usado com tração baixa ou alta, sobre os molares superiores, maxila, mandíbula e a relação maxilomandibular como primeira fase de tratamento da maloclusão de Classe II. Metodologia: Foram avaliadas 110 radiografias de 55 indivíduos, média de idade de 10. 3 anos e com maloclusão de Classe II divididos em dois grupos; Grupo 1 (n=37), com AEB com tração baixa; Grupo 2 (n=18), com AEB com tração alta. Os indivíduos foram tratados até a relação molar de Classe I ser atingida. Resultados: os resultados mostraram deslocamento distal dos primeiros molares superiores no grupo Grupo1 (P< 0,001), com inclinação distal ainda mais acentuada no Grupo 1 (P< 0,001). Houve extrusão acentuada do primeiro molar superior permanente (P< 0,001) com rotação horária do plano palatal (P< 0,05) no Grupo 1. O Grupo 2 não apresentou diferenças estatísticas significantes no posicionamento do primeiro molar superior. Não houve diferença estatística no deslocamento anterior da maxila nos Grupos 1 e 2. Foi observado aumento no comprimento mandibular nos dois grupos com maior aumento comprimento mandibular entre T1(início do tratamento) e T2 (final do tratamento), no Grupo 1 (P<0,001) e com diferença significativa entre os grupos (P>0,05). A alteração da relação maxilomandibular não foi significante estatisticamente. Houve rotação anti-horária mandibular, embora não sendo estatisticamente significativa. Conclusão: considerando os resultados é possível concluir que o tratamento com ambos os protocolos foi eficiente e os resultados foram mais significativos no Grupo 1, porém com mais efeitos dentários indesejáveis.
URI: http://hdl.handle.net/10923/8523
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000479122-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo1,51 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.