Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/16681
Tipo: doctoralThesis
Título: A moderna tradição brasileira: relações entre modernização e cultura da tropicália/marginália à geração marginal-periférica
Autor(es): Matte, Gustavo Arthur
Orientador: Amodeo, Maria Tereza
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Letras
Data de Publicação: 2020
Palavras-chave: MODERNISMO (LITERATURA)
MOVIMENTOS LITERÁRIOS - BRASIL
LITERATURA
Resumo: A proposta deste trabalho consiste em pensar as transformações na cultura brasileira relacionadas ao processo de modernização capitalista de nossa sociedade a partir dos anos 1960, que inseriu o país decisiva e irreversivelmente no mercado internacional de bens-culturais e da cultura de massas. A linha de raciocínio é a de que, em meados dos anos 1990, teria ocorrido uma importante transição geracional do “pop” ao “popular”, percebida através de paralelos (de continuidade e ruptura) entre o período da “tropicália/marginalia” e o da chamada “arte marginal-periférica”. A articulação do estudo se dará em torno da hipótese de que a arte pop brasileira dos anos 1960 e 1970, por seu interesse e incorporação de formas, temas e mídias da cultura internacional de massas, corresponde a um gesto de desterritorialização do imaginário cultural, associando-se à globalização e à modernização em curso; a arte periférica da passagem para o século XXI, por outro lado, movimenta-se no sentido de retratar a experiência da globalização e da modernização a partir da perspectiva de populações marginalizadas e não-beneficiárias da modernidade globalizada, denunciando-a por uma ótica interna e de classe, que afirma a territorialidade cultural e conduz a um resgate do popular – aproximando-se do que Milton Santos denominou utopicamente como a “revanche da periferia”, ou seja, o momento em que as tecnologias de massa, tornando-se acessíveis, seriam apropriadas pelos segmentos populares para produzir o próprio discurso.Portanto, para fins desta hipótese, o termo “popular” refere-se às representações e relações culturais calcadas na comunidade e no território; e “pop”, por sua vez, diz respeito às linguagens, símbolos e formas que atingem escala massiva e transnacional através da indústria cultural. A investigação aqui proposta se utilizará de um método comparativo entre as duas gerações, lidas sob a ótica da teoria dos polissistemas de Even-Zohar e da tradição crítica da cultura brasileira – representada nos conceitos de “dialética da malandragem” (Antonio Candido) e “dialética da marginalidade” (João César de Castro Rocha). O objetivo é analisar as diferentes maneiras de o sistema cultural brasileiro (ou setores desse sistema) interagir com o sistema internacional da cultura moderna, seja pela via da abertura (permeabilidade) ou resistência (impermeabilidade). Usarei como corpus uma pequena amostragem de obras paralelas dos dois períodos, em várias mídias: coletâneas de poesia (26 poetas hoje [1975, org. Heloísa Buarque de Hollanda] e Literatura Marginal [2005, org. Ferréz]); ficção (Panamérica [1967, José Agrippino de Paula] e Cidade de Deus [1997, Paulo Lins]); além de álbuns de canção popular (Tropicália [1968, vários artistas] e Sobrevivendo no inferno [1998, Racionais Mcs]).
The purpose of this Thesis is to think about the transformations in Brazilian contemporary culture related to the process of capitalist modernization of our society from the 1960s on, which irreversibly inserted the country in the net of the international market of cultural goods. The line of reasoning pursued is that there has been an important transition during the 1990’s, taking our culture from a “pop” perspective to a “popular” one – which can be seen in remarkable parallels (of continuity and rupture) between the period of “tropicália/marginália” and that of the hip-hop movement. The study will be based on the hypothesis that the Brazilian pop art of the 1960s and 1970s, due to its interest and incorporation of forms, themes and media of international mass culture, relates to a gesture of deterritorialization of the cultural imaginary, thus associated with the ongoing modernization and globalization; the hip-hop movement in Brazil, on the other hand, portrays the experience of modernization from the perspective of populations marginalized in the process of globalization, denouncing it from an internal perspective, which reaffirms cultural territoriality and leads to a rescue of a “popular” discourse. This is very similar to what Milton Santos called the “periphery revenge”: the moment when mass technologies would be appropriated by popular segments to produce their own discourse. Thus, for the purposes of this hypothesis, the term “popular” refers to the representations and cultural relations based on the community and the territory; and “pop”, in turn, refers to the languages, symbols and forms that reach massive and transnational scale by the means of the cultural industry.The method proposed is a comparative analysis, bringing together both generations to be read from the perspective of EvenZohar's polysystem theory, as well as the perspective of Brazilian critical tradition – represented here by the concepts of “dialética da malandragem” (Antonio Candido) and “dialética da marginalidade” (João Cézar de Castro Rocha). The objective is to analyze different ways by which our cultural system (or sectors of this system) can interact with the international system of modern culture, either by opening itself (permeability) or by being resistant (impermeability). The corpus of study is composed by parallel works of the two periods in various media: poetry (26 poetas hoje [1975, org. Heloísa Buarque de Hollanda] and Literatura Marginal [2005, org. Ferréz]); fiction (Panamerica [1967, José Agrippino de Paula] and Cidade de Deus [1997, Paulo Lins]); music (Tropicália [1968, various artists] and Sobrevivendo no inferno [1998, Racionais Mcs]).
URI: http://hdl.handle.net/10923/16681
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000498263-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo3,42 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.