Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/2570
Tipo: masterThesis
Título: Do processo de gestão fordista ao flexível: as modificações na saúde do bancário no Rio Grande do Sul
Autor(es): Vanni, Luiz Alberto
Orientador: Reis, Carlos Nelson dos
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Economia do Desenvolvimento
Data de Publicação: 2007
Palavras-chave: TRABALHADORES - SAÚDE
TRABALHO - PRODUTIVIDADE
DOENÇAS OCUPACIONAIS
BANCÁRIOS - RIO GRANDE DO SUL
Resumo: Em todo o Brasil, os anos 90 foram marcados pelo processo de reestruturação produtiva. Na busca de formas de aumentar a produtividade, bem como de reduzir os custos de produção, ocorreu uma transição do sistema de gestão fordista, para o sistema de gestão flexível. O objetivo desta dissertação é realizar uma análise histórica do impacto desta transição sobre a saúde dos trabalhadores em bancos do Estado do Rio Grande do Sul. Neste sentido, faz-se uma análise teórica da gestão da mão-de-obra: taylorista-fordista e flexível. Segue-se um relato da história do desenvolvimento econômico do Estado desde o surgimento da atividade de pecuária-charqueada, seguido pela implantação da agricultura, da base industrial, e do comércio. Descreve-se também o desenvolvimento do sistema financeiro regional, que no final do século XX foi submetido à importante reestruturação. Com a finalidade de avaliar o impacto desta mudança sobre a saúde dos trabalhadores gaúchos, em especial os do sistema financeiro, estuda-se a evolução do trabalho no setor, desde as pequenas casas bancárias até as modernas agências informatizadas. Por fim, a análise do dados epidemiológico dos adoecimentos relacionados ao trabalho no período de gestão flexível, com enfoque nos bancários do Rio Grande do Sul, evidenciou elevadas taxas de prevalência de LER e transtornos mentais menores.
Throughout Brazil, the nineties were marked by the restructuring of the production process. In order to find ways to increase productivity, as well as to reduce the costs of production, a transition of the Taylorist-Fordist system of production to the flexible system of production took place. The aim of this dissertation is to perform a historical analysis of the impact of this transition on the health of bank workers in the State of Rio Grande do Sul. In this sense, a theoretical analysis of the systems of production (Taylorist-Fordist and flexible) was conducted, reporting the economic development history of the State since the beginning of cattle raising-jerky production followed by the introduction of agriculture, industry and commerce. A description of the development of the regional financial system was performed, since it went through an important restructuring at the end of the twentieth century. Searching to evaluate the impact of this change on the health of the workers of Rio Grande do Sul particularly the bank employees, the evolution of the work in this sector was studied since the first bank agencies to the modern bank agencies. At last, the analysis of epidemiological data regarding work related illnesses during the flexible system period in this particular group of workers revealed high prevalence rates of repetitive strain injuries and minor mental disorders.
URI: http://hdl.handle.net/10923/2570
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000389385-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo642,32 kBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.