Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/5894
Registro Completo de Metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorMoraes, Gustavo Inácio dept_BR
dc.contributor.authorCorbellini, Julio Cesarpt_BR
dc.date.accessioned2014-06-04T17:46:17Z-
dc.date.available2014-06-04T17:46:17Z-
dc.date.issued2013pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10923/5894-
dc.description.abstractNesse trabalho, tendo a sustentabilidade como nexo, sob um ponto de vista teórico e normativo, se estuda o comportamento econômico camponês, primeiro, nos limites da “metaeconomia”, conceito elaborado por Ernst Friedrich Schumacher, e segundo, nos limites da teoria microeconômica vigente. Considera-se consensual ser a sustentabilidade um problema cuja solução é de interesse social e global e analisa-se a propensão e potencialidade do camponês para promovê-la. Aborda-se a “metaeconomia” como um referencial normativo que promove sustentabilidade e que possibilita justificar a consistência e plausibilidade do comportamento camponês. O trabalho de Schumacher é estudado sobre quatro eixos: a sua crítica à ciência econômica neoclássica e três das suas proposições, a da prevalência da pessoa na economia, a de “ser pequeno” e a das “tecnologias apropriadas”. Considera-se que essas três evocam todas as demais proposições da “metaeconomia”. Com base na prática econômica do camponês e na sua conformidade com a “metaeconomia” procura-se representar o seu comportamento com uso do formalismo da microeconomia e dos modelos de crescimento, constituindo-se assim um “modelo microeconômico camponês” de produção e de crescimento. O modelo é apresentado na forma de matrizes nas quais estão presentes estoques e fluxos físicos e uma contabilidade que leva em conta o fato de o camponês ser ao mesmo tempo produtor, consumidor e investidor. Ao final, argumenta-se que o modelo camponês, teórico-normativo, é consistente e compatível com os requisitos da sustentabilidade do ser humano e do seu meio. O trabalho se fundamenta na análise da literatura disponível. Objetiva-se contribuir com a chamada de Schumacher para o estudo de uma economia mais humana.pt_BR
dc.description.abstractIn this paper peasant economic behavior will be studied using sustainability as a nexus and from a theoretical and normative point of view, first within the framework of “metaeconomy”, concept created by Ernst Friedrich Schumacher, and secondly within the framework of the prevalent microeconomic theory. Sustainability is generally considered to be a problem whose solution is socially and globally important and this work will analyze the tendency and potential of the peasant to promote this solution. This paper will tackle “metaeconomy” as a normative reference to promote sustainability and allow the justification of the consistence and plausibility of peasant behavior. Schumacher’s work is studied along four lines: his criticism of neoclassical economic science and three of his propositions, the importance of people in the economy, “being small” and “appropriate technology”. Together, it is considered that these three concepts evoke all the rest of the concepts belonging to “metaeconomy”. With a basis in the economic practices of the peasant and in his conformity with “metaeconomy” this work attempts to represent his behavior using microeconomic formalism and growth patterns, creating a “microeconomic peasant model” of production and growth. The model is presented via matrixes in which the stocks and physical flows are present as well a model of accountancy based on the fact that the peasant is at once producer, consumer and investor. Finally, I argue that this theoretical-normative peasant model is consistent and compatible with the sustainability requirements for human beings and their environment. This work is based on analysis of available literature. Its objective is to contribute to Schumacher’s call for the study of a more human economy.en_US
dc.language.isoPortuguêspt_BR
dc.publisherPontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.rightsopenAccessen_US
dc.subjectECONOMIA - ASPECTOS AMBIENTAISpt_BR
dc.subjectSUSTENTABILIDADEpt_BR
dc.subjectTRABALHADORES RURAISpt_BR
dc.subjectECONOMIA - TEORIASpt_BR
dc.title“Camponês, sustentabilidade e metaeconomia: nexos e convergências”pt_BR
dc.typemasterThesispt_BR
dc.degree.grantorPontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentFaculdade de Administração, Contabilidade e Economiapt_BR
dc.degree.programPrograma de Pós-Graduação em Economia do Desenvolvimentopt_BR
dc.degree.levelMestradopt_BR
dc.degree.date2013pt_BR
dc.publisher.placePorto Alegrept_BR
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000458446-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo932,06 kBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.