Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10923/12577
Type: masterThesis
Title: Conselhos gestores de unidades de conservação: espaços de aprendizagem através da participação social
Author(s): Marques, Ketulyn Füster
Advisor: De la Fare, Mónica
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Graduate Program: Programa de Pós-Graduação em Educação
Issue Date: 2018
Keywords: UNIDADES DE CONSERVAÇÃO
PARTICIPAÇÃO SOCIAL
APRENDIZAGEM
EDUCAÇÃO
Abstract: Esta dissertação tem como objetivo analisar os processos de aprendizagem que ocorrem durante a participação social em dois conselhos gestores de unidades de conservação no estado do Rio Grande do Sul. A opção por um espaço de participação social demonstra a consonância deste trabalho com teorias que abordam a aprendizagem como produto da prática social, considerando de forma dialógica aspectos dos sujeitos, o ambiente e o contexto histórico-cultural em que se desenvolvem. Assim a Teoria da Atividade, que teve como origem os estudos de Lev S. Vigotski e possui desdobramentos até os dias atuais, com destaque as contribuições de Alexie Leontiev e Yrjö Engeströn, apoiam a discussão teórica desse trabalho. A perspectiva de Jean Lave e Ettiene Wenger sobre a aprendizagem situada em comunidades de prática e as formulações propostas pelo antropólogo Tim Ingold, que leva a pensar os processos de aprendizagem sob a ótica do sujeito enquanto “ser-no-mundo”, também aportam reflexões acerca do tema proposto. Como estratégia metodológica foi desenvolvida uma pesquisa com abordagem qualiquantitava, tendo o estudo de caso como base.A partir da perspectiva da motivação para se tornar conselheiro de uma unidade de conservação, considerando que o motivo, de acordo com Leontiev, designa aquilo em que a necessidade se concretiza como objetivo nas condições consideradas e para as quais a atividade se orienta, as observações evidenciaram a presença de três grupos distintos: conselheiros que já apresentam em sua trajetória envolvimento com questões ecológicas e visam principalmente a efetivação da unidade de conservação; a comunidade de entorno e residentes da área que sofreram mudanças em seu modo de reprodução cultural e para os quais o conselho funciona como espaço de aproximação e negociação com a gestão e; pessoas que mantêm vínculo econômico com a implantação da unidade, cujo a motivações estão relacionadas à efetivação da mesma, mas com abertura e estrutura suficiente para a realização de suas atividades. Além dos objetivos específicos de cada grupo, a participação dos diferentes sujeitos converge para um objetivo imediato fundamental, o aprender a ser conselheiro.A representatividade foi um aspecto muito destacado nas falas dos participantes da pesquisa, já que a identificação do conselheiro com o grupo pode atribuir maior legitimidade. A afirmação da identidade exige por parte dos conselheiros tolerância e empatia com as diferentes opiniões e realidades que emergem nos conselhos, sendo que todos os entrevistados atribuíram grande importância a convivência com as diferenças como forma de aprendizagem. A conclusão aponta que as aprendizagens nos conselhos de unidades de conservação são oportunizadas por meio das relações estabelecidas, seja nas experiências prévias e externas aos conselhos, que contribuem para a formação da identidade e motivação dos conselheiros, como também nas trocas e tensões que se estabelecem dentro do contexto desses colegiados, por meio do entrelaçamento entre diferentes atores (com diferentes motivações e visões de mundo), o contexto em que se situam e a forma com que a natureza converge para integra-se a esse contexto.
This dissertation aims to analyze the learning processes that occur during social participation in two management councils of protection areas in the Rio Grande do Sul state. The option for a space of social participation demonstrates the consonance of this paper with theories that approach learning as a product of social practice, considering in a dialogical way aspects of the subjects, the environment and the historical-cultural context in which they are developed. The Activity Theory, which originated the studies of Lev S. Vigotski and has developments to the current days, with emphasis on the contributions of Alexie Nikolaevich Leontiev and Yrjö Engeströn, support the theorical discussion of this work. The perspective of Jean Lave and Ettiene Wenger on learning situated in communities of practice and the formulations proposed by the anthropologist Tim Ingold, which leads to thinking the learning processes from the subject's perspective as "being-in-the-world", also provide reflections about the proposed theme. As a methodological strategy, was developed a research with a qualiquantitative approach, with the case study as the base. From the perspective of motivation to become a counselor, considering that the reason, according to Leontiev, designates that in which the necessity becomes objective in the conditions considered and for which the activity is oriented, the observations evidenced the presence of three distinct groups: counselors who already present in their trajectory involvement with ecological issues and aim mainly at the creation of the protection area, the surrounding community and residents of the area, who had changes in their way of cultural reproduction and for which the council works as an approximation space and negotiation with management, and people who keep an economical link with the implementation of the unit, whose motivations are related to its effectiveness activities.Beyond the specific objectives of each group, the participation of the different subjects converges to a fundamental immediate objective, to become a counselor. The representativeness was a very prominent aspect in the speeches of the participants of the research, since the identification of the counselor with the group can attribute greater legitimacy. The affirmation of the identity requires on the part of the counselors tolerance and empathy with the different opinions and realities that emerge in the councils, and all the interviewees attached great importance to coexistence with differences as a form of learning. The conclusion points that the learning in the councils of the protected areas that are opportunized through the established relationships, be it in the previous and external experiences to the councils, that contribute to the formation of the identity and motivation of the counselors, as well as the exchanges and tensions that are established within the context of these collegiate, through the interlacement between different actors (with different motivations and world views), the context in which they are located and the way in which the nature converges to integrate in this context.
URI: http://hdl.handle.net/10923/12577
Appears in Collections:Dissertação e Tese

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000489555-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo1,26 MBAdobe PDFOpen
View


All Items in PUCRS Repository are protected by copyright, with all rights reserved, and are licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License. Read more.