Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10923/13204
Type: doctoralThesis
Title: Produção e percepção das fricativas sibilantes em Porto Alegre/RS e Florianópolis/SC
Author(s): Biasibetti, Ana Paula Correa da Silva
Advisor: Brescancini, Cláudia Regina
Fernandes, Dênis
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Graduate Program: Programa de Pós-Graduação em Letras
Issue Date: 2018
Keywords: PORTUGUÊS - REGIONALISMO
CONSOANTES
PORTUGUÊS - FONOLOGIA
PORTUGUÊS - FONÉTICA
LINGUÍSTICA
Abstract: Esta tese trata da produção e percepção das fricativas sibilantes não-vozeadas [s] e [ʃ] em ataque e coda silábica nas variedades de português brasileiro faladas em Porto Alegre/RS e Florianópolis/SC sob a perspectiva da Sociofonética (FOULKES; DOCHERTY, 2006; FOULKES; SCOBBIE; WATT, 2010; THOMAS, 2011). A pesquisa teve como objetivos: i) realizar a descrição acústica das fricativas sibilantes produzidas em Porto Alegre/RS e Florianópolis/SC em ataque e coda silábica; ii) investigar os efeitos do viés linguístico (função contrastiva e não-contrastiva das fricativas sibilantes) sobre a percepção fonética das fricativas sibilantes em ataque e coda silábica; e iii) investigar os efeitos do viés cognitivo sobre a percepção da variação fonética das fricativas sibilantes em coda silábica. O corpus deste estudo contou com duas amostras de dados de produção, a saber, uma amostra referente a dados de 16 informantes florianopolitanos e outra amostra referente a dados de 24 informantes porto-alegrenses. Quanto aos dados de percepção, a amostra florianopolitana é constituída por 30 participantes, ao passo que a amostra portoalegrense conta com 10 participantes.A análise acústica das fricativas sibilantes confirmou parcialmente os efeitos coarticulatórios dos contextos vocálicos circundantes e da tonicidade sobre a caracterização espectral das fricativas sibilantes, exceto pelas vogais [u] e [o] em contexto precedente à sibilante em coda e pela tonicidade pretônica no caso da fricativa alveolar em ataque. Ao que parece, a produção fonética variável se correlaciona com o gênero dos falantes nos dois casos indicados. O gênero dos falantes também parece interferir na produção da fricativa alveolar em ataque pelos porto-alegrenses que possuem nível Superior de escolaridade, sendo que os homens tendem a aumentar o Centroide, enquanto as mulheres tendem a reduzi-lo. O parâmetro temporal examinado apresentou um efeito constante, a saber, o aumento das frequências em função da duração das sibilantes em ataque e coda. O aumento das frequências em função do estilo de fala monitorado também se confirmou e sugere se tratar de um comportamento articulatório associado especificamente às mulheres. No que diz respeito à análise dos dados de percepção, as relações de contraste e de não-contraste das fricativas sibilantes de fato interferem na percepção dos homens e mulheres florianopolitanos e dos homens portoalegrenses, mas não na percepção das mulheres porto-alegrenses.Em relação à percepção da variação fonética, os resultados sugerem que associações automáticas entre o estereótipo de morador nativo e a fricativa palato-alveolar em FLN e entre o estereótipo de porto-alegrense e a fricativa alveolar em POA são ativadas durante a percepção. Mais do que isso, a associação implícita tende a se tornar mais forte conforme os participantes reportam explicitamente uma diferença maior entre os estímulos alveolar e palato-alveolar. Todavia, o fato de que alguns participantes relacionam essa diferença a outros aspectos linguísticos que não à fricativa sibilante em coda evidencia que a percepção da variação fonética socialmente estruturada ocorre de modo inconsciente. Conclui-se, portanto, que a produção das fricativas sibilantes não-vozeadas do português brasileiro é foneticamente gradiente e varia em função do gênero dos falantes e que a percepção desses sons é mediada por vieses linguísticos e cognitivos.
This thesis deals with the production and perception of voiceless sibilant fricatives [s] and [ʃ] in syllable onset and coda in the varieties of Brazilian Portuguese spoken in Porto Alegre/RS and Florianópolis/SC under the perspective of Sociophonetics (FOULKES, DOCHERTY, 2006; FOULKES; SCOBBIE; WATT, 2010; THOMAS, 2011). This research aims: i) to provide the acoustic description of the sibilant fricatives produced in Porto Alegre/RS and Florianópolis/SC in onset and coda; ii) to investigate the effects of the linguistic bias (contrastive and non-contrastive function of sibilant fricatives) on the phonetic perception of sibilant fricatives in onset and coda; and iii) to investigate the effects of the cognitive bias on the perception of phonetic variation of sibilant fricatives in coda. The corpus of this study consists of two samples of production data, one referring to data from 16 informants from Florianópolis and another sample referring to data from 24 informants from Porto Alegre. Regarding the perception data, the sample collected in Florianópolis consists of 30 participants, while the sample collected in Porto Alegre consists of 10 participants.The acoustic analysis of the sibilant fricatives partially confirmed the predicted coarticulatory effects of the surrounding vowel contexts and the effects of syllable stress on the spectral characterization of the sibilant fricatives, except for the vowels [u] and [o] preceding the fricative sibilant in coda and the unstressed pretonic syllable in the case of the alveolar fricative in onset. It seems that the variability of the phonetic production correlates with the gender of the speakers in the two cases indicated. The gender of the speakers also seems to interfere in the production of the alveolar fricative in onset by more educated people from Porto Alegre, with men tending to increase the Centroid, while women tend to reduce it. The temporal parameter examined showed a constant effect, namely the increase of frequencies as a function of the duration of the sibilants in onset and coda. The increase in frequencies due to the monitored speech style has also been confirmed and it is suggested to be an articulatory behavior associated specifically to women.Concerning the analysis of perception data, contrast and noncontrast relations of sibilant fricatives do affect the perception of men and women from Florianópolis and men from Porto Alegre, but not in the perception of women from Porto Alegre. Regarding the perception of phonetic variation, the results suggest that automatic associations between the stereotype of native/local resident and the palatoalveolar fricative in Florianópolis and the association between the stereotype of portoalegrense and the alveolar fricative in Porto Alegre are activated during perception. Moreover, the implicit association tends to become stronger as participants overtly report a greater difference between alveolar and palato-alveolar stimuli. However, the fact that some participants associate this difference to linguistic aspects other than the sibilant fricative in coda shows that the perception of socially structured phonetic variation occurs unconsciously. It is therefore concluded that the production of voiceless sibilant fricatives in Brazilian Portuguese is phonetically gradient and varies according to the gender of the speakers and that the perception of these sounds is mediated by linguistic and cognitive biases.
URI: http://hdl.handle.net/10923/13204
Appears in Collections:Dissertação e Tese

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000490390-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo2,42 MBAdobe PDFOpen
View


All Items in PUCRS Repository are protected by copyright, with all rights reserved, and are licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License. Read more.