Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://hdl.handle.net/10923/1338
Tipo: masterThesis
Título: Participação do sistema colinérgico em déficits cognitivos no modelo animal de sobrecarga do ferro
Autor(es): Perez, Vinícius Pieta
Orientador: Schröder, Nadja
Editor: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular
Fecha de Publicación: 2009
Palabras clave: BIOLOGIA CELULAR
BIOLOGIA MOLECULAR
ACETILCOLINESTERASE
FERRO
MEMÓRIA
EXPERIMENTAÇÃO ANIMAL
GALANTAMINA
FIBRAS COLINÉRGICAS
Resumen: The present study evaluated the effects of the pharmacological stimulation of cholinergic system by using an acetylcholinesterase (AChE) inhibitor and a cholinergic muscarinic agonist on recognition memory impairment induced by iron neonatal treatment. In addition we evaluated the AChE activity and mRNA expression in brain regions of rats treated neonatally with iron. Evidence indicates that iron accumulation in the brain might be involved in neurological disorders, particularly in neurodegenerative disorders. It is well documented that the neonatal period is critical for the establishment of iron content in the adult brain, and iron uptake by the brain is maximal during the neonatal period. Treatment with iron, 10,0 mg/kg (iron concentration 1 mg/ml), during postnatal days 12 -14 in rats, promotes midbrain iron accumulation and impairs longterm recognition memory in the adulthood. The cholinergic pathways are intimately involved in cognitive functions, such as learning and memory, and disruption of this system is involved in cognitive decline observed in aging and in neurodegenerative disorders. Our results showed that a single administration of a AChE inhibitor, galantamine at the dose of 1. 0 mg/kg, immediately after training, completely reverses the recognition memory impairment induced by neonatal iron loading in adult rats (3 months of age).Using the same protocol, it was shown that the muscarinic agonist, oxotremorine, ameliorated the recognition memory deficits. Adult rats (3 months of age) treated neonatally with iron showed a decrease in AChE activity in striatum but nor in cortex neither in hippocampus, and this decrease of AChE activity was not accompanied by alterations its mRNA. Curiously, AChE activity in aged rats (24 months of age) does not differ between groups, and the activities are similar of the adult iron group (3 months of age). The present results suggest that, at least in part, iron-induced cognitive deficits are related to a dysfunction of cholinergic neural transmission in striatum with no cholinergic degeneration.
Neste trabalho foram avaliados os efeitos da manipulação farmacológica do sistema colinérgico através do uso de um fármaco inibidor da enzima acetilcolinesterase (AChE) e um agonista de receptores colinérgicos muscarínicos sob déficits na memória de reconhecimento induzidos pelo tratamento com ferro no período neonatal. Além disso, avaliou-se a atividade e expressão do RNAm da AChE em regiões cerebrais de ratos tratados com ferro no período neonatal. Desde a última década se sugere uma correlação entre o ferro e desordens neurológicas, especialmente as doenças neurodegenerativas. No período neonatal a absorção de ferro pelo cérebro é máxima, período em que os estoques e concentrações futuras deste metal se estabelecem. Ratos tratados do 12o ao 14o dia de vida com 10 mg/kg (concentração de 1 mg/ml de ferro na solução) de ferro via tubo intragástrico, se desenvolvem aparentemente saudáveis até a vida adulta, porém, ao serem avaliados em tarefas cognitivas apresentam severos déficits nas mesmas. O sistema colinérgico é um dos principais sistemas envolvidos em processos cognitivos, tanto que o declínio observado no envelhecimento e em algumas doenças neurodegenerativas é em parte associado à perda de função deste sistema. Este estudo demonstra que a administração intraperitoneal (i. p. ), única, imediatamente após o treino, de 1,0 mg/kg do inibidor da AChE, galantamina, a ratos adultos (3 meses) tratados com ferro é capaz de reverter totalmente o déficit cognitivo observado na tarefa de reconhecimento do objeto novo. De forma semelhante, o agonista muscarínico oxotremorine na dose de 0,5 mg/kg i. p. melhora o desempenho na mesma tarefa, mas sem total reversão do dano cognitivo. Ao se avaliar a atividade da AChE nas estruturas cerebrais de animais adultos (3 meses) tratados com ferro observou-se uma diminuição da mesma na região do estriado sem alterações nas regiões do córtex e hipocampo, porém essa diminuição da atividade ocorreu sem acompanhamento de alterações na expressão do RNAm, a qual não apresenta diferença entre o grupo controle e o tratado com ferro. Curiosamente, a atividade da AChE de ratos velhos (24 meses) não apresenta diferença entre o grupo controle e o grupo tratado, e os valores encontrados para ambos são semelhantes àqueles dos ratos jovens (3 meses) tratados com ferro. Os resultados obtidos nesse estudo sugerem que o dano cognitivo gerado pelo tratamento com ferro está relacionado, pelo menos em parte, a um dano na transmissão colinérgica estriatal, porém sem degeneração das fibras colinérgicas.
URI: http://hdl.handle.net/10923/1338
Aparece en las colecciones:Dissertação e Tese

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
000411148-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo338,88 kBAdobe PDFAbrir
Ver


Todos los ítems en el Repositorio de la PUCRS están protegidos por derechos de autor, con todos los derechos reservados, y están bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional. Sepa más.