Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/16409
Tipo: masterThesis
Título: Corporativismo(s) entre luzes e sombras: perspectivas de um debate sociopolítico no horizonte brasileiro dos anos 1930/37
Autor(es): Costaguta, Gabriel Duarte
Orientador: Abreu, Luciano Aronne de
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em História
Data de Publicação: 2019
Palavras-chave: AUTORITARISMO
CORPORATIVISMO
BRASIL - POLÍTICA
Resumo: A historiografia brasileira que se dedicou à análise das ideias corporativistas no Brasil dos anos 1930/45 examinou os textos de intelectuais autoritários que estiveram, de alguma maneira, vinculados ao regime varguista, como, por exemplo, Oliveira Vianna, Francisco Campos e Azevedo Amaral. Em avanço a esse quadro, este trabalho tem por objetivo explorar textos que, no contexto anterior à institucionalização do “Estado Novo” (1930/37), defendiam o Estado corporativo como modelo de reorganização da ordem social e política adequado à realidade brasileira, e que ainda não receberam atenção historiográfica, uma lacuna constatada desde nossa pesquisa. São eles: República Syndicalista dos Estados Unidos do Brazil, de Olbiano de Mello, publicado em 1931; Organização profissional (corporativismo) e representação de classes, de Paim Vieira, publicado em 1933; No Limiar da Idade Nova, de Alceu Amoroso Lima, publicado em 1935; e O Estado Corporativo, de Anor Butler Maciel, publicado em 1936. Nesse sentido, ao iluminarmos este outro lado do debate até então às sombras (pois distanciado do foco colocado nas ideias de O. Vianna, F. Campos e A. Amaral), busca-se desvelar um mosaico de ideias que, com efeito, enfrentaram-se no intuito de intervir na realidade política daquele contexto. Sendo assim, ao confrontarmos as ideias corporativistas inscritas nos textos referenciados acima e Problemas de Política Objetiva (texto de Oliveira Vianna publicado em 1930), defenderemos que havia diferentes e concomitantes projeções corporativistas que orientaram as (re)interpretações das experiências históricas nacionais, tornando a própria história política e social brasileira objeto de disputa. Este é o caminho que percorreremos ao longo deste trabalho.
The Brazilian historiography dedicated to the analysis of corporatist ideas in Brazil from the 1930s to 1945 has examined the texts of intellectuals who were somehow tied to the Vargas regime, as per the example of Oliveira Vianna, Francisco Campos and Azevedo Amaral. Following this tradition, this paper aims to explore other texts that, in the context prior to the institutionalization of the Vargas Era (1930-1937), defended the corporate State as an appropriate model to the national reality for the reorganization of social and political order, but that have not yet received historiographical attention. The texts are: (República Syndicalista dos Estados Unidos do Brazil, by Olbiano de Mello, published in 1931; Organização profissional (corporativismo) e representação de classes, by Paim Vieira, published in 1933; No Limiar da Idade Nova, by Alceu Amoroso Lima, published in 1935; and O Estado Corporativo, by Anor Butler Maciel, published in 1936). In that sense, by shedding light to this other side of the debate, until now kept in the shadows, we seek to unveil a mosaic of ideas that have clashed with each other to intervene in the political reality of the context. Lastly, when we compare the corporatist ideas in the texts referenced above with Problemas de Política Objetiva (text by Oliveira Vianna published in 1930), we will argue that corporatist projections guided the (re)interpretations of national experiences, rendering Brazilian history itself an object of dispute. This is the path we will follow in this paper.
URI: http://hdl.handle.net/10923/16409
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000496252-Texto+completo-0.pdfTexto completo1,52 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.