Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10923/2081
Type: masterThesis
Title: As mídias sociais no contexto da comunicação digital das universidades brasileiras
Author(s): Silva, Diego Wander Santos da
Advisor: Scroferneker, Cleusa Maria Andrade
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Graduate Program: Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social
Issue Date: 2012
Keywords: COMUNICAÇÃO SOCIAL
COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL
UNIVERSIDADES - COMUNICAÇÃO
MÍDIA DIGITAL
REDES SOCIAIS
COMUNICAÇÃO DIGITAL
Abstract: The object of this research are the social medias in the context of digital organizational communication, while communication possibilities and/or information, formal and formalized, presents at the homepages of the websites and official portals of universities affiliated to the Council of Dean in Brazilian Universities (CRUB). The study aims to investigate the adhesion or not of the IES (University Institutions of Education) in social media and discuss the practices of universities in the Metropolitan Area of Porto Alegre (RMPA) on these web spaces. The concern stems from the perception that presence is a growing phenomenon and these organizations, probably, do not have the clarity about the possible implications on the insertion on websites. We believe that universities have joined the social media, many times, by fad and the apparent request of presence as if the fact they were not present could meant lack of visibility. The work is anchored in the paradigm of complexity (MORIN, 2001) and it is entitled as exploratory research (GIL, 1999), since it is a subject with few theoretical and empirical studies, especially when we talk about social media in the context of universities. Regarding the methodological procedures – after the theoretical review, we map the status of the presence in social media from 148 universities affiliated to the CRUB. Subsequently, we conducted research among Higher Education Institutions (IES) of the RMPA already included in the initial sample, and those which have profiles on these web spaces. We reflect on the presence and action, based on analyzes of the profiles for a month, and based on content that resulted from in-depth interviews of a semi-open survey (DUARTE, 2008), performed with the responsible for the social media work in these organizations. We realize that over 50% of IES’s surveyed have joined at least in one of these media. Membership is more significant among private IES’s, which refers 67. 53% of the rate. In the second phase of the research, we note that there are good practices, innovative, but there are actions that compromise the performance of universities, when concepts like dialogue seem to be ignored, especially in one of those universities, even our tries to schedule the interview for this work, received no answer. We believe that we must be prepared to listen and talk, and some possible antagonisms can be centered on this fact. Similarly, differ from those universities that conceive the production of content for these spaces from the viewpoint of public interest with which they (dis) located on these websites. The outlook for the professionalization of that being, we expect that results of reflections (and other attitudes) about what really is wanted in spaces like Facebook, Twitter, YouTube, among others, trying to be really places of communication and interaction.
O objeto da pesquisa são as mídias sociais no contexto da comunicação organizacional digital, enquanto possibilidades de comunicação e/ou informação, formais e formalizadas, presentes nas homepages dos sites e portais das universidades brasileiras filiadas ao Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras (CRUB). Tem como objetivos: investigar a adesão, ou não, das IES às mídias sociais e discutir as práticas das universidades da Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA) nesses espaços. A inquietação decorre da percepção de que essa presença é um fenômeno crescente e que estas organizações, possivelmente, não tenham clareza quanto às possíveis implicações da inserção nesses sites. Acreditamos que as universidades aderiram às mídias sociais, muitas vezes, por modismo e pela aparente obrigatoriedade de presença, como se o fato de não estar implicasse desprestígio e falta de visibilidade. A pesquisa está ancorada no Paradigma da Complexidade (MORIN, 2001) e se constitui como exploratória (GIL, 1999), visto que é um tema com pouca produção teórica e estudos empíricos, ainda mais ao falarmos em mídias sociais no contexto das universidades. Em relação aos procedimentos metodológicos – após a revisão teórica, mapeamos o status da presença nas mídias sociais das 148 universidades filiadas ao CRUB. Posteriormente, conduzimos pesquisa dentre as Instituições de Ensino Superior (IES) da RMPA, já inclusas na amostra inicial, e que possuem perfis nesses espaços. Refletimos a respeito da presença e atuação, a partir de análises nos perfis durante um mês, bem como baseados no conteúdo que resultou das entrevistas em profundidade de caráter semi-aberto (DUARTE, 2008), realizadas com os responsáveis pelo que é desenvolvido, ou não, nas mídias sociais. Percebemos que mais de 50% das IES pesquisadas aderiram, no mínimo, a uma dessas mídias. A adesão é mais expressiva dentre as IES particulares, que atingem o percentual de 67,53%. Na segunda fase da pesquisa, notamos que há boas práticas, inovadoras, mas que há ações que comprometem a atuação das universidades, visto que conceitos como diálogo parecem ser ignorados, principalmente em uma das universidades, que sequer respondeu nossas tentativas, via mídias sociais, para agendamento da entrevista. Acreditamos que é preciso, de fato, estar preparado para ouvir e dialogar, e que alguns possíveis antagonismos podem estar centrados nesse fato. Do mesmo modo, diferem-se aquelas universidades que concebem a produção de conteúdo para esses espaços sob a ótica do interesse dos públicos com os quais se (des)encontram nesses sites. As perspectivas apontam para a profissionalização desse estar, que esperamos que resulte de reflexões (e outras posturas) sobre o que efetivamente desejamos em espaços como o Facebook, Twitter, YouTube, dentre outros, buscando que sejam, realmente, lugares de comunicação e de interação.
URI: http://hdl.handle.net/10923/2081
Appears in Collections:Dissertação e Tese

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000438298-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo2,42 MBAdobe PDFOpen
View


All Items in PUCRS Repository are protected by copyright, with all rights reserved, and are licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License. Read more.