Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/2246
Registro Completo de Metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorScroferneker, Cleusa Maria Andradeen_US
dc.contributor.authorDutra, Myriam Cadorinen_US
dc.date.accessioned2013-08-07T18:47:14Z-
dc.date.available2013-08-07T18:47:14Z-
dc.date.issued2010pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10923/2246-
dc.description.abstractThis research constitutes a study regarding the relationship between communication and work, in which the subject and his manner of speech in the work process, is the pivot point. Transdisciplinary construction, aimed to investigate for evidence, how/if the Appreciative Inquiry (im)possible to build fields of morphic resonance, comprising as it does its dynamics - that finds other paradigms and moves from actions such as find, dream, design and execute - and discussing their ability to interfere (or not) in the evolution of knowledge in fields morphic resonance. All field work was developed from a case study in Nutrimental company, built from the perspective of methodological Paradigm of Complexity. The Appreciative Inquiry as a way of enabling strategy, has in its scope a process of building collective understandings, by the purposeful interaction dynamics that is able - or not - to establish. This dynamic may emerge skills for interpersonal relations, product of conversations in and about the work, which hold a collective responsibility, as a group mind, and evolution to produce actions appear between groups apart from each other. The survey found that theoretical concepts into resetting the job as the nature of an event, the result of a collective production of meaning. He devoted himself to look at this dynamic as an engine for action, emphasizing aspects of communication, and found that the instability of work interactions is implied a permanent (re) negotiation and (re) structuring cognitive, biological and social stakeholders, which re (organizing), all the time, their referents in the world of work, the work itself and its structured world. In this configuration we try to bring clarity to the explanation of phenomena in which collective understandings of communication are crystallized, they can maintain an upward spiral of self-eco-organization in working groups and, consequently, constitute a strategic line for the sustainability of a business in the market .en_US
dc.description.abstractEste trabalho de pesquisa constitui-se num estudo em torno da relação entre Comunicação e Trabalho, na qual o sujeito e sua forma de linguagem, no processo de trabalho, é o ponto de articulação. De construção transdisciplinar, teve como objetivos investigar, buscando evidências, como/se a Investigação Apreciativa (im)possibilita a estruturação de campos de ressonância mórfica, compreendendo como acontece sua dinâmica - que considera outros paradigmas e se move a partir de ações como descobrir, sonhar, desenhar e executar – e discutindo sua capacidade de interferir (ou não) na evolução de conhecimentos por ressonância em campos mórficos. Todo o trabalho de campo foi desenvolvido a partir de um estudo de caso na empresa Nutrimental, construído sob a ótica metodológica do Paradigma da Complexidade. A Investigação Apreciativa, como um modo de viabilização estratégica, tem em seu escopo um processo de construção de entendimentos coletivos, pela dinâmica de interações propositivas que é capaz – ou não - de instituir. Dessa dinâmica podem emergir competências por relações intersubjetivas, produto de conversas de, no e sobre o trabalho, as quais sustentam uma competência coletiva, como uma mente grupal, e produzem ações para evolução entre grupos aparentemente distanciados entre si.A pesquisa considerou conceitos teóricos que recolocam o trabalho como sendo da natureza de um evento, resultado de uma produção de sentidos coletivos. Dedicou-se a olhar para esta dinâmica como geradora de ações, privilegiando aspectos da Comunicação, e considerou que na instabilidade das interações de trabalho está implícita uma permanente (re)negociação e (re)estruturação cognitiva, biológica e social dos envolvidos, que re(organizam), a todo momento, seus referentes do mundo do trabalho, do próprio trabalho e do seu mundo estruturado. Nessa configuração buscamos trazer maior clareza para a explicação sobre fenômenos de comunicação onde entendimentos coletivos são cristalizados, podem manter uma espiral ascendente de eco-auto-organização nos grupos de trabalho e, por conseqüência, constituir uma linha estratégica para sustentabilidade de um negócio no mercado.pt_BR
dc.language.isoPortuguêspt_BR
dc.publisherPontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.subjectCOMUNICAÇÃO SOCIALpt_BR
dc.subjectCOMUNICAÇÃO NA EMPRESApt_BR
dc.subjectRELAÇÕES DE TRABALHOpt_BR
dc.subjectCOMUNICAÇÃO SOCIAL - PESQUISASpt_BR
dc.titleComunicação e trabalho: as (im)possibilidades da investigação apreciativapt_BR
dc.typedoctoralThesispt_BR
dc.degree.grantorPontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sulpt_BR
dc.degree.departmentFaculdade de Comunicação Socialpt_BR
dc.degree.programPrograma de Pós-Graduação em Comunicação Socialpt_BR
dc.degree.levelDoutoradopt_BR
dc.degree.date2010pt_BR
dc.publisher.placePorto Alegrept_BR
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000428527-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo5,36 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.