Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://hdl.handle.net/10923/2600
Tipo: masterThesis
Título: Novas e velhas abordagens da teoria da escolha e da utilidade
Autor(es): Wagner, Sergio Artur Luz
Orientador: Alvim, Augusto Mussi
Editor: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Economia do Desenvolvimento
Fecha de Publicación: 2009
Palabras clave: ECONOMIA
ECONOMIA - TEORIAS
TEORIA DA UTILIDADE
Resumen: Até pouco tempo havia apenas um posicionamento frente o dilema da escolha envolvendo o risco, que era baseado no processo do indivíduo racional. Atualmente, com novas técnicas de compreensão do risco e principalmente do complexo instituto da incerteza, já é possível de se delimitar o que leva as pessoas a decidirem e a se equivocarem em alguns processos de decisão. Neste trabalho apresentaremos um pequeno resumo histórico dos processos, visando certa linha de pensamento, no que tange aos mecanismos de escolha, e sucessivamente vem sendo aprimorado com a interpretação de fenômenos que antecipadamente, não eram considerados relevantes o que neste caso se refere a Teoria da Perspectiva (Prospect Theory), de Daniel Kahnemann e Amos Tversky. Em vista desta teoria, uma das principais referências ao estudo dos mecanismos de risco e incerteza é a re-interpretação da medida. A existência de um hiato entre as duas teorias estudadas, EU Utilidade Esperada e NEU Utilidade Não Esperada, certifica o quando para o fenômeno da escolha, a possibilidade antecipada de definição do risco é importante. Na EU as escolhas envolvem um traçado axiomático Neoclássico consistente com a concepção filosófica de risco. Para a NEU, e necessariamente para a Teoria da Perspectiva, o processo de escolha ocorre principalmente no que se delimita por Heurísticas de Decisão. Ambas as teorias vêem o ser humano por dois enfoques bastante claros. A primeira, EU, percebe o ato humano como característica de um conjunto lógico de procedimentos. Não havendo obediência a estes atributos, não haveria a constituição de um projeto de felicidade, de bem estar como subjetivos da escolha racional.Para a NEU o indivíduo é visto como um agregado, onde a soma de componentes assessórios subjetivos, não necessariamente necessita representar a máxima felicidade, na Teoria EU, mas que demonstrem as verdadeiras faces daquilo que representa a Utilidade, a escolha e seu risco inerente. Em nosso trabalho ainda incorremos na tênue relação entre risco e incerteza. Estas relações são apresentadas como diferenças controversas em cada uma das Teorias analisadas, e principalmente, como elas interferem nos mecanismos de construção da Teoria da Perspectiva.
Until little time the quandary of the choice had only one positioning front involving the risk that was established in the process of the rational individual. Currently, with new techniques of understanding of the risk and mainly of the complex institute of the uncertainty, already it is possible of if delimiting what it takes the people to decide and if to make a mistake in some processes of decision. In this work we will present a small historical summary of the processes, having aimed at certain line of thought, in what it refers to the choice mechanisms, and successively comes being improved with the interpretation of phenomena that, were anticipated not considered excellent what in this in case that the Theory of the Perspective is mentioned (Prospect Theory), of Daniel Kahnemann and Amos Tversky. In sight of this theory, one of the main references to the study of the mechanisms of risk and uncertainty it is the reverse speed-interpretation of the measure. The existence of a hiatus between the two studied theories, Expected Utility and NEU Non Expected Utility, certify when for the phenomenon of the choice, the anticipated possibility of definition of the risk is important. In me those choices involve an axiomatic tracing consistent Neoclassical with the philosophical conception of risk. For the NEU, and necessarily for the Theory of the Perspective, the choice process occurs mainly in what it is delimited for Heuristically of Decision. Both the theories see the human being for two sufficiently clear approaches. The first one, I, perceive the human act as characteristic of a logical set of procedures. Not having obedience to these attributes, he would not have the constitution of a happiness project, of welfare as subjective of the rational choice.For the NEU the individual is seen as an aggregate, where the addition of subjective accessories components, not necessarily needs to represent the maximum happiness, in the Theory I, but that they demonstrate the true faces of what represents the Utility, the choice and its inherent risk. Into our work still we incur into the tenuous relation between risk and uncertainty. These relations are presented as differences controversies in each one of the analyzed Theories, and mainly, as they intervene with the mechanisms of construction of the Theory of the Perspective.
URI: http://hdl.handle.net/10923/2600
Aparece en las colecciones:Dissertação e Tese

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
000416792-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo1,33 MBAdobe PDFAbrir
Ver


Todos los ítems en el Repositorio de la PUCRS están protegidos por derechos de autor, con todos los derechos reservados, y están bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional. Sepa más.