Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/4668
Tipo: masterThesis
Título: Variabilidade dos índices ventilatórios preditores de sucesso de extubação em crianças submetidas à ventilação mecânica
Autor(es): Gatiboni, Silvia
Orientador: Piva, Jefferson Pedro
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Pediatria e Saúde da Criança
Data de Publicação: 2008
Palavras-chave: MEDICINA
PEDIATRIA
RESPIRAÇÃO ARTIFICIAL
UNIDADES DE TERAPIA INTENSIVA PEDIÁTRICA
PROGNÓSTICO
LACTENTE
DESMAME DO RESPIRADOR
CAPACIDADE INSPIRATÓRIA
Resumo: Objective: to analyze the behavior of rapid shallow breathing index, maximal inspiratory pressure and tidal volume in pre-extubation period of children submitted to mechanical ventilation. Design: prospective observational cross-sectional study. Methods: between August 2007 and August 2008, were evaluated all children able to be withdrawal from mechanical ventilation, according to the medical staff of São Lucas Hospital of PUCRS. Were measured ventilatory variables (minute volume, respiratory rate, maximal inspiratory and expiratory pressures). From these variables, were calculated tidal volume and rapid shallow breathing index. Successful extubation was considered when there was not reintubation up to 48 hours after the withdrawal of the endotracheal tube. Results: were included in the study 100 children, with a medium age of 2,1 years. Thirteen children necessitated re-intubation (13%). The medium weight was 9. 6 Kg and the medium time of mechanical ventilation was 6. 5 days. Most of the patients were from male gender (63%) and presented a diagnostic of acute bronchiolitis (47%). The children under one year (61) presented 18% of extubation failure. The maximal inspiratory pressure presented significant difference between the success and failure extubation groups (-62. 6±29 cmH2O vs -42. 7±20. 2 cmH2O; p=0. 03). Through the ROC curve it was identified 82% of sensitivity and 55% of specificity in the PImax -37cmH2O cutoff (area of 0. 7). Conclusions: the maximal inspiratory pressure seems to be the best variable to identify children with potential to successful extubation but with a predictive power considered weak. The analyzed ventilatory variables presented a very big dispersion so in general sample as in the subdivision for illness and age.
Objetivo: analisar o comportamento do índice de respiração superficial, pressão inspiratória máxima e volume corrente no período pré-extubação de crianças submetidas à ventilação mecânica. Delineamento: estudo transversal observacional prospectivo. Métodos: entre Agosto de 2007 e agosto de 2008, foram avaliadas todas as crianças aptas para a retirada da ventilação mecânica, de acordo com a equipe médica do Hospital São Lucas da PUCRS. Foram mensuradas variáveis ventilatórias (volume minuto expiratório, freqüência respiratória, pressão inspiratória e expiratória máximas). A partir destas variáveis, calculou-se o volume corrente e o índice de respiração superficial. O sucesso de extubação foi considerado quando não houve reintubação em até 48 horas após a retirada do tubo endo-traqueal. Resultados: foram incluídas no estudo 100 crianças, com idade média de 2,1 anos. Treze crianças necessitaram de reintubação (13%). O peso médio foi de 9,6Kg e o tempo médio de ventilação mecânica foi de 6,5 dias. A maioria dos pacientes era do sexo masculino (63%) e apresentava diagnóstico de bronquiolite viral aguda (47%). As crianças menores de um ano (61) apresentaram 18% de falha de extubação. A pressão inspiratória máxima apresentou diferença significativa entre o grupo sucesso e falha de extubação (- 62,6 ± 29 cmH2O vs -42,7 ± 20,2 cmH2O; p=0,03). Através da curva ROC identificou-se 82% de sensibilidade e 55% de especificidade no ponto de corte da pressão inspiratória máxima de -37cmH2O (área de 0,7). Conclusões: a pressão inspiratória máxima parece ser a melhor variável para identificar crianças com potencial para sucesso de extubação, mas com um poder preditivo considerado baixo. As variáveis ventilatórias analisadas apresentaram uma dispersão muito grande, tanto na amostra geral, quanto na subdivisão por doença e faixa etária.
URI: http://hdl.handle.net/10923/4668
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000408203-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo881,4 kBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.