Por favor, use este identificador para citar o enlazar este ítem: http://hdl.handle.net/10923/4688
Tipo: masterThesis
Título: Avaliação antropométrica em crianças com epilepsia
Autor(es): Gutheil, Maria Eugênia Goulart
Orientador: Nunes, Magda Lahorgue
Editor: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Pediatria e Saúde da Criança
Fecha de Publicación: 2011
Palabras clave: MEDICINA
PEDIATRA
EPILEPSIA
CONVULSÕES
CRIANÇAS
AVALIAÇÃO NUTRICIONAL
ANTROPOMETRIA
ANTICONVULSIVOS
Resumen: Introduction: Malnutrition and epilepsy are prevalent problems in developing countries, and their cause-effect relationship have been suggested in animal model studies. There is no evidence that malnutrition can be considered a direct cause of epilepsy, however, could it favor the onset of epilepsy or seizures related to nutritional deficiencies. It is not clear, as well, the influence of childhood epilepsy over their development, in terms of height and weight. Objective: To evaluate the anthropometric measurements of children with epilepsy. Methods: A case control study comparing weight, height and body mass index (BMI) of 27 children with intractable epilepsy matched (1:1) for age and sex with children without chronic diseases, aged between 4 and 10 years were recruited at the Ambulatory of Pediatric Neurology, Epilepsy and General Pediatrics from the São Lucas Hospital-PUCRS (HSL-PUCRS), respectively. Measurements of weight and height were measured by the researcher and a student trained for that. Information regarding the type, frequency and timing of seizures and antiepileptic drugs used were provided by parents or guardians during the anthropometric measurement. The Student t test was used for statistical analysis and the significance level was set at p <0. 05. This study was approved by the Ethics Committee. Results: We found rates of Z-score for height for age (H/A) lower in children with epilepsy compared to control children of the same age (p = 0. 02), while Z score index for weight for age (W/A) and body mass index for age (BMI / A) showed no significant difference between groups (p = 0. 07, p = 0. 22, respectively). Moreover, the nutritional status of children with epilepsy showed no relation to the type of treatment (Z-score W / A p = 0. 886; Z-score A / I p = 0. 782, Z-score BMI /A p = 0. 850), frequency (Z-score W/A p = 0. 698, Z score H/A p = 0. 678, Z score BMI/A p = 0. 999), time (Z score W/A p = 0. 878, Z score H/A p = 0. 983; Z score BMI/A p = 0. 741) and type of seizures (Z score W/A p = 0. 834, Z score H/A p = 0. 686, Z score BMI/A p = 0. 757).Conclusion: Our findings suggest that children with refractory epilepsy have lower rates of Z-score H/A when compared to children without epilepsy.
INTRODUÇÃO : Desnutrição e epilepsia são problemas prevalentes em países em desenvolvimento, sendo uma relação causa-efeito sugerida em estudos em modelo animal. Não existem evidências de que a desnutrição possa ser considerada uma causa direta de epilepsia, entretanto, poderia favorecer o aparecimento da epilepsia ou convulsões relacionadas a deficiências nutricionais. Não é claro também a influência das epilepsias iniciadas na infância sobre o desenvolvimento pôndero - estatural. OBJETIVO : Avaliar as medidas antropométricas de crianças com epilepsia.MÉTODOS : Estudo caso controle comparando peso, estatura e Índice de Massa Corporal (IMC) de 27 crianças com epilepsia refratária pareadas (1:1) em relação a sexo e idade com crianças sem doenças crônicas, com idade entre 4 e 10 anos, recrutadas no Ambulatório de Neurologia Pediátrica e Epilepsia e no Ambulatório Geral de Pediatria do Hospital São Lucas da PUCRS (HSL-PUCRS), respectivamente. As medidas de peso e estatura foram aferidas pela pesquisadora e um bolsista, treinado. Informações quanto ao tipo, freqüência e horário das crises e drogas antiepilépticas utilizadas foram fornecidas pelos pais e/ou responsáveis durante a aferição das medidas antropométricas. O teste t de Student foi utilizado para a análise estatística e o nível de significância estabelecido em p < 0. 05. Estudo aprovado pelo Comitê de Ética. RESULTADOS : Encontraram-se índices de escore Z Altura para a idade (A/I) menores nas crianças com epilepsia quando comparadas às crianças do grupo controle na mesma faixa etária (p=0,02), enquanto índices de escore Z Peso para a idade (P/I) e Índice de Massa Corporal para a idade (IMC/I) não apresentaram diferença significativa entre os grupos (p=0,07; p=0,22, respectivamente). Além disto, o estado nutricional das crianças com epilepsia não demonstrou relação quanto ao tipo de tratamento (Escore Z P/I p=0,886; Escore Z A/I p=0,782; Escore Z IMC/I p=0,850), freqüência (Escore Z de Peso para idade p=0,698; Escore Z de Altura para idade p=0,678; Escore Z de IMC para idade p=0,999), horário (Escore Z de Peso para idade p=0,878; Escore Z de Altura para idade p=0,983; Escore Z de IMC para idade p=0,741) e tipo das crises (Escore Z de Peso para idade p= 0,834; Escore Z de Altura para idade p=0,686; Escore Z de IMC para idade p=0,757).CONCLUSÃO : Nossos achados sugerem que crianças com epilepsia refratária apresentam índices de escore Z A/I menores quando comparadas as crianças sem epilepsia.
URI: http://hdl.handle.net/10923/4688
Aparece en las colecciones:Dissertação e Tese

Ficheros en este ítem:
Fichero Descripción TamañoFormato 
000432299-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo424,15 kBAdobe PDFAbrir
Ver


Todos los ítems en el Repositorio de la PUCRS están protegidos por derechos de autor, con todos los derechos reservados, y están bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial 4.0 Internacional. Sepa más.