Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/5631
Tipo: masterThesis
Título: Efeitos antifibróticos de ácido gálico em células estreladas hepáticas ativadas
Autor(es): Schuster, Aline Daniele
Orientador: Oliveira, Jarbas Rodrigues de
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Medicina e Ciências da Saúde
Data de Publicação: 2013
Palavras-chave: MEDICINA
CIRROSE HEPÁTICA
INFLAMAÇÃO
ÁCIDO GÁLICO
HEPATÓCITO
FÍGADO - DOENÇAS
Resumo: A fibrose é uma doença crônica do fígado que representa uma das maiores causas de mortalidade humana e é caracterizada pelo acúmulo de matriz extracelular em resposta à lesão hepática crônica. Importantes causas de lesões hepáticas crônicas são: hepatites virais, doenças metabólicas, doenças autoimunes e exposição a substâncias químicas, como álcool ou drogas. As células GRX são uma linhagem representativa das células estreladas hepáticas (HSC), que está associada ao desenvolvimento da fibrose que, em último estágio, é a cirrose. No fígado saudável, estas células apresentam um fenótipo quiescente ou lipocítico, caracterizado pela sua capacidade de armazenar gotículas lipídicas. O ácido gálico está envolvido em vários processos biológicos, tais como a inibição do crescimento celular e apoptose, além de possuir uma variedade de ações farmacológicas, incluindo as atividades antioxidantes, anti-inflamatórias, antimicrobiana e antitumoral. O objetivo deste estudo foi investigar os efeitos in vitro do ácido gálico sobre o fenótipo das HSC. Os resultados obtidos mostraram que o ácido gálico é capaz reduzir a proliferação celular, induzir o fenótipo quiescente nas HSCs pelo aumento de gotículas lipídicas, provavelmente pela ativação do receptor ativado por proliferador de peroxissomo gama, bloqueio da sinalização de fator de transformação do crescimento beta 1 e diminuição da expressão do colágeno tipo I. Estes resultados demonstram que o ácido gálico pode ser um novo agente terapêutico para o tratamento de fibrose hepática.
Fibrosis is a chronic liver disease that is a major cause of human mortality and is characterized by the accumulation of extracellular matrix in response to chronic liver injury. Important causes of chronic liver injury are: viral hepatitis, metabolic diseases, autoimmune diseases and exposure to chemicals, such as alcohol or drugs. The GRX cells are a representative line of hepatic stellate cells (HSC), which is associated with development of fibrosis, in the last stage is the cirrhosis. In healthy liver, these cells exhibit a phenotype or quiescent lipocyte characterized by its hability to store lipid droplets. Gallic acid is involved in several biological processes such as cell growth inhibition and apoptosis also has a variety of pharmacological actions, including antioxidant activity, anti-inflammatory, antimicrobial and antitumor. The aim of this study was to investigate the in vitro effects of gallic acid on the phenotype of HSC. The results showed that gallic acid is able to reduce cell proliferation, induce quiescent phenotype in HSCs by increasing lipid droplets, probably by activating peroxisome proliferator-activated receptor gama, decrease of transforming growth factor 1 signaling and decreased expression of collagen type I. These results demonstrate that the gallic acid may be a novel therapeutic agent for treating hepatic fibrosis.
URI: http://hdl.handle.net/10923/5631
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
000453321-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo2,16 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.