Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/7457
Tipo: doctoralThesis
Título: Acurácia dos testes ultrassonográficos para predição de pré-eclâmpsia
Autor(es): Cunha Filho, Edson Vieira da
Orientador: Figueiredo, Carlos Eduardo Poli de
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Medicina e Ciências da Saúde
Data de Publicação: 2015
Palavras-chave: MEDICINA
ULTRASSONOGRAFIA DE DOPPLER
ULTRASSONOGRAFIA
PRÉ-ECLÂMPSIA
ARTÉRIAS UTERINAS
COMPLICAÇÕES NA GRAVIDEZ
GESTAÇÃO
Resumo: Objective : To develop a meta-analysis on ultrasonographic methods for preecalmpsia prediction. Methods : The databases MEDLINE, EMBASE, LILACS and SCIELO were searched for selecting studies and data extraction. We assessed study validity by QUADAS II. The statistical analysis was performed using summary operating point for qualitative variables and using summary ROC curves for quantitative variables. Results : In the gestation’s first trimester, ultrasound methods are not applicable for preeclampsia prediction due to low sensitivity. In the second trimester there are three feasible tests. For early preeclampsia prediction (birth < 34 weeks) the uterine arteries mean pulsatility index above 95th centile plus bilateral notching have a low negative likelihood ratio (0. 28) and high sensitivity (89%). For preeclampsia prediction at any time of gestation, resistance index may be used. Mean resistance index > 0. 58 is applicable for high risk pregnant women with an AUC of 0. 804. For pregnant women without risk for preeclampsia, the specificity of the bilateral resitance index > 0. 70 was 97%.Conclusion : In the first trimester ultrasound methods can not be used to predict preeclampsia. During the second trimester, the mean pulsatility index above 95th centile has the best predictive power. This test is applicable for low risk patients to predict preeclampsia below 34 weeks. The mean resistance index > 0. 58, with sensitivity and specificity around 74%, to predict preeclampsia at any time of gestation in high risk patients, can also be used. For low risk patients and preeclampsia prediction at any time of gestation, all tests had low sensitivities.
Objetivo : Realizar uma metanálise para testar a acurácia dos métodos ultrassonográficos para predição de pré-eclâmpsia.Métodos : Foi efteuada pesquisa nas bases de dados MEDLINE, EMBASE, LILACS e CIELO, onde os estudos foram selecionados. A validade dos estudos foi acessada pela ferramenta QUADAS II. A análise estatística foi feita utilizando summary operating point para variáveis qualitativas e summary ROC curve para variáveis quantitativas. Resultados : No primeiro trimestre da gestação, os métodos ultrassonográficos não têm aplicabilidade para predição de pré-eclâmpsia devido à sua baixa sensibilidade. No segundo trimestre, encontramos três testes que podem ser utilizados. Para predição de pré-eclâmpsia precoce (que culmina com nascimento abaixo das 34 semanas) o Índice de Pulsatilidade médio das artérias uterinas acima do percentil 95 associado à incisura protodiastólica bilateral teve uma baixa razão de verossimilhança negativa (0,28) e uma alta sensibilidade (89%). Para predição de pré-eclâmpsia a qualquer momento da gravidez, o índice de resistência pode ser usado. Índice de Resistência médio > 0,58 é aplicável para pacientes de alto risco, tendo uma área abaixo da curva de 0,804. Para grávidas de baixo risco de pré-eclâmpsia, a especificidade do Índice de Resistência bilateral > 0,70 foi de 97%.Conclusão : No primeiro trimestre não encontramos bons resultados com métodos ultrassonográficos para predição de pré-eclâmpsia. No segundo trimestre o índice de pulsatilidade médio acima do percentil 95 teve o melhor poder preditivo. Este teste é aplicável para pacientes de baixo risco e para predizer pré-eclâmpsia abaixo de 34 semanas. Podemos utilizar também o Índice de Resistência maior que 0,58, com sensibilidade e especificidade próximas as 74%, para predizer pré-eclâmpsia em pacientes de alto risco, com a doença ocorrendo em qualquer momento da gravidez. Para pacientes de baixo risco e predição de pré-eclâmpsia a qualquer momento da gestação os testes têm baixa sensibilidades.
URI: http://hdl.handle.net/10923/7457
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
471709 - Texto Completo.pdfTexto Completo1,92 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.