Utilize este identificador para citar ou criar um atalho para este documento: http://hdl.handle.net/10923/827
Tipo: masterThesis
Título: Perfil epidemiológico de portadores do HIV com manifestações estomatológicas em cinco centros de referência na cidade de Porto Alegre
Autor(es): Petruzzi, Maria Noel Marzano Rodrigues
Orientador: Figueiredo, Maria Antonia Zancanaro de
Editora: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Programa: Programa de Pós-Graduação em Odontologia
Data de Publicação: 2012
Palavras-chave: ODONTOLOGIA
ESTOMATOLOGIA
DIAGNÓSTICO BUCAL
EPIDEMIOLOGIA
INFECÇÕES ODONTOGÊNICAS
AIDS (ODONTOLOGIA)
Resumo: Desde o início da epidemia da AIDS muitos esforços tem sido empregados para definir o valor clínico das manifestações estomatológicas do HIV. Entretanto, poucos estudos nos países em desenvolvimento contemplaram essas enfermidades. O objetivo desta pesquisa foi descrever o perfil epidemiológico de adultos portadores do HIV com lesões bucais associadas e avaliar os fatores de risco para a ocorrência dessas afecções. Com esse fim, um estudo transversal, retrospectivo e descritivoanalítico foi desenvolvido a partir de dados coletados em 534 prontuários médico/odontológicos de pacientes que receberam atendimento em 5 centros de referência na cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. A análise dos dados foi realizada empregando tabulações cruzadas, teste t pareado e modelos de regressão logística. Cerca de 52% dos pacientes eram homens; 88,2% tinham mais de 30 anos de idade e 78,1% progrediram para AIDS em um período de até 5 anos a partir do diagnóstico inicial. O índice de desemprego na amostra foi de 35% e, significativamente, mais comum no gênero masculino (p<0,001). Aproximadamente 60% dos indivíduos usavam terapia anti-retroviral de alta atividade. A tuberculose foi a doença definidora de AIDS diagnosticada com maior frequência, apresentando percentual de 18,5%. As lesões bucais associadas ao HIV foram observadas em 19,3% dos pacientes no momento do diagnóstico da infecção por esse vírus. A candidíase foi a lesão bucal mais prevalente (50%), tendo predileção pelo gênero feminino (p=0,031). Os fatores de risco vinculados à sua ocorrência foram os graus de imunossupressão moderada (p<0,009) e severa (p<0,001) e alcoolismo (p=0,011).Contagens de CD4+ abaixo de 500 células/mm³ (p=0,029), carga viral acima de 5000 cópias/mm³ (p=0,003) e tabagismo (p=0,005), contribuíram para a maior prevalência de leucoplasia pilosa. O estado avançado da doença por HIV, no momento do diagnóstico, e a rápida progressão para AIDS, requerem a especial atenção dos profissionais da saúde, uma vez que podem ser indicativos de diagnóstico e acesso tardio ao tratamento. Os cirurgiões-dentistas e demais profissionais devem estar alertas para o surgimento dessas manifestações estomatológicas, uma vez que nos sujeitos avaliados neste estudo essas enfermidades foram sinais clínicos sugestivos de deterioração imune e progressão da doença.
Since the beginning of AIDS epidemic many efforts have been employed to define the value of oral cavity lesions as clinical markers of this disease. However, there are fewer reports on oral pathologies from developing countries. The main purpose of this study was to describe the epidemiological characteristics of HIV-positive adults’ carriers of associated oral lesions and evaluate the risk factors for the occurrence of these affections. For that purpose, a cross-sectional, retrospective and descriptive-analytical study was conducted in medical/dental charts of 534 patients at 5 Referral Centers for HIV/AIDS management in Porto Alegre city, Rio Grande do Sul, Brazil. Data analysis consisted of cross-tabulations, binomial t test, and logistic regression models. Nearly 52% of patients were men, 88.2% were older than 30 years and 78.1% progressed to AIDS in less than 5 years after HIV diagnosis. The unemployment index was 35% and was significantly more common among men (p<0.001). Approximately 60% of the patients used highly active antiretroviral therapy. Tuberculosis was the AIDS-defining disease most commonly seen (18.5%).The oral manifestations were seen in 19.3% of patients at the time of HIV diagnosis. Oral candidiasis was the most prevalent lesion in the oral cavity (50%), denoting predilection by the female gender (p=0.031). The risk factors for the occurrence of this affection were moderate (p<0.009) and severe (p<0.001) immunologic impairment and alcoholism (p=0.011). CD4+ counts below 500 cells/mm³ (p=0.029), a viral load above 5000 copies/mm³ (p=0.003) and smoking (p=0.005), contributed for hairy leukoplakya occurrence. The advanced stage of the disease and rapid progression to AIDS observed in this sample requires health professionals’ attention, since they may be indicative of diagnosis and treatment delay. Dentists and other health professionals might be aware to the onset of oral manifestations, since these lesions were helpful markers for the detection of HIV and suggestive clinical signs of immune deterioration and disease progression in the current survey.
URI: http://hdl.handle.net/10923/827
Aparece nas Coleções:Dissertação e Tese

Arquivos neste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
437503.pdfTexto Completo3,59 MBAdobe PDFAbrir
Exibir


Todos os itens no Repositório da PUCRS estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, e estão licenciados com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional. Saiba mais.