Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10923/8651
Type: masterThesis
Title: A influência do tipo e do fracionamento dos alimentos nas sensações de saciação e saciedade do consumidor
Author(s): Stocker, Leticia Rocha
Advisor: Almeida, Stefânia Ordovás de
Publisher: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul
Graduate Program: Programa de Pós-Graduação em Administração
Issue Date: 2016
Keywords: COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR
ALIMENTOS - CONSUMO
CONSUMIDORES - SATISFAÇÃO
AUTOCONTROLE
MARKETING
ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS
Abstract: Consumer behavior towards food is full of paradoxes and complex decisions, often involving seemingly irreconcilable tradeoffs (WERLE AND CUNY, 2012). One such tradeoff involves the nature of the food to be consumed, whether it is hedonic or utilitarian. Another tradeoff involves portion sizes and, interestingly, how it is presented (whole or fractioned) and consumed. While some studies found no difference in consumption intake between people eating a single size portion compared to a fractionated portion (DEVITT AND MATTES, 2004 AND SPIEGEL ET AL. , 1993), other studies show that, by consuming food through little pieces, people tend to consume less (MARCHIORI, WAROQUIER AND KLEIN, 2011). Unit size of food and types of food influence consumption in ways that go beyond the quantity consumed. They can influence perceptions of hunger and fullness. While the sensation of termination of hunger can be described in physiological terms, like the absence of pain in the stomach, the sensation of fullness is often described through a more psychological perspective. In this sense, fullness is related to the pleasure people can feel through the consumption of food (MURRAY AND VICKERS, 2009). Even though types and unit size of food have already been addressed on their own rights, the joint consideration of these two aspects has not yet been explored. Our research addresses this issue. Specifically, we test whether people fell less hunger or feel more fullness through the consumption of hedonic vs. utilitarian food, and through single sized (whole) portions vs. fractionated portions of food. Given the nature of our constructs, we also believe such effects can be influenced by an individual’s capacity to self-regulate. Hence, we considered self-control as a moderating variable.Our findings advance the knowledge on food consumption by arguing that hedonic foods are more pleasurable than utilitarian foods, and that utilitarian foods have more power to cease hunger than hedonic foods. More interestingly, these effects are influenced by both unit size (whether food is presented whole or in pieces) and individual levels of self-control. Individuals with low self-control take greater advantage of the fullness properties of hedonic and hunger-ceasing properties of utilitarian foods when they are presented whole. Such results have direct implications for public policy.
O comportamento alimentar dos consumidores é um tema repleto de paradoxos e decisões complexas que envolvem escolhas conflituosas (WERLE E CUNY, 2012). Um desses conflitos envolve a natureza dos alimentos a serem consumidos, se são hedônicos ou utilitários. Outro conflito envolve os tamanhos de porção e como essa porção é apresentada (inteira ou fracionada em pequenos pedaços) e consumida. Alguns estudos não encontraram diferenças na quantidade de alimento consumido entre pessoas que consumiram alimentos através de pedaços inteiros ou fracionados (DEVVID E MATTES, 2004 E SPIEGEL ET AL. , 1993), já outros estudos demonstram que ao consumir alimentos através de pequenos pedaços, as pessoas tendem a consumir menos (MARCHIORI, WAROQUIER E KLEIN, 2011). Tamanhos de porções e tipos de alimentos influenciam o consumo de maneiras que vão além da quantidade consumida. Esses fatores podem influenciar as percepções de saciação e saciedade. Enquanto que a sensação de saciação pode ser descrita através de uma perspectiva fisiológica, como a ausência de dores no estômago, a sensação de saciedade frequentemente é descrita através de uma perspectiva psicológica. Nesse sentido, saciedade é relacionada ao prazer que as pessoas podem sentir através do consumo de alimentos (MURRAY E VICKERS, 2009). Apesar de tipos e tamanhos de porções de alimentos já terem sido estudados separadamente, a consideração em conjunto desses dois aspectos ainda não foi explorada. O presente estudo procura suprir essa lacuna. Especialmente, é testado se as pessoas sentem mais saciação ou saciedade através de consumo de alimentos hedônicos vs. utilitários, e através de alimentos inteiros vs. fracionados. Ainda, acredita-se que esses efeitos possam ser influenciados pela capacidade individual das pessoas de se controlar. Dessa forma, autocontrole foi considerado como uma variável moderadora.Os resultados avançam o conhecimento em comportamento alimentar demonstrando que alimentos hedônicos são mais prazerosos vs. utilitários, e que alimentos utilitários tem maior poder de saciar a fome vs. hedônicos. Ainda, saciação e saciedade são influenciadas por tipo de fracionamento (inteiros vs. fracionados) e níveis individuais de autocontrole. Indivíduos de baixo autocontrole podem potencializar suas sensações de saciação e saciedade através do consumo de alimentos apresentados inteiros. Tais resultados têm implicações diretas em políticas públicas.
URI: http://hdl.handle.net/10923/8651
Appears in Collections:Dissertação e Tese

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
000479803-Texto+Completo-0.pdfTexto Completo1,34 MBAdobe PDFOpen
View


All Items in PUCRS Repository are protected by copyright, with all rights reserved, and are licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License. Read more.